A primeira das 'Tricoteiras' é identificada pelo IML

Nelly Elly Priebe, fundadora do grupo, é a primeira aposentada a ser identificada

Marcelo Auler, enviado especial, e Sandra Hahn, da Agência Estado,

21 de julho de 2007 | 22h10

A primeira "Tricoteira" do grupo de sete senhoras aposentadas e pensionistas gaúchas que estava no Vôo 3054 que se acidentou em São Paulo, foi identificada na madrugada deste sábado. Trata-se de Nelly Elly Priebe, de 79 anos que além de ser funcionária pública aposentada da Secretaria da Fazenda do estado, era viúva de outro servidor.   Nelly foi uma das fundadoras do grupo "Tricoteiras", também conhecido como "Tricoteiras dos Precatórios" por lutarem pelo pagamento destes títulos judiciais que correspondem a indenizações que elas ganharam na Justiça do Governo do Estado. Desde 1999 o executivo gaúcho não tem pagado estes precatórios previdenciários.   As "tricoteiras" protestavam tricotando uma manta todas as quartas-feiras à tarde, na Praça da Matriz, onde fica o Palácio Piratini, sede do governo estadual. A manta, que já tinha atingido 200 metros, queimou-se no avião com as sete senhoras, todas maiores de 70 anos, que foram a São Paulo para o lançamento do Movimento Nacional contra o Calote, que ocorreria quarta-feira.   O grupo é ligado ao Sindicato dos Servidores Públicos Aposentados e Pensionistas do Estado do Rio Grande do Sul - Sinapers. Junto com as sete "tricoteiras" também viajaram a assessora de imprensa, Kátia da Luz Escobar (43 anos) e o advogado Paulo de Tarso Dresche da Silveira, de 41 anos, filho do ex-ministro do Supremo Tribunal Federal, Néri da Silveira.   O corpo de Paulo de Tarso chegou ontem de madrugada a Porto Alegre, e foi velado durante o dia pela família e enterrado no final da tarde. Segundo a psicóloga Maria Inês Porta Nova Leal, que junto com a assistente social Suzana Nogueira acompanha em São Paulo familiares das "tricoteiras" nas tentativas de identificação dos corpos, o IML já teria identificado objetos pertencentes à presidente do Sinapers, Júlia de Oliveira Camargo, de 79 anos e também da assessora de imprensa, Kátia. Mas não conseguiram ainda localizar os restos mortais delas.   Na próxima quarta-feira, as "tricoteiras" que não viajaram homenagearão as colegas que faleceram com uma manifestação na mesma Praça da Matriz. Elas se reunião no mesmo horário em que era feito o protesto - 14h - e estenderão na praça um pano negro com mais de 200 metros, simbolizando a manta tricotada que queimou no acidente.   Até este sábado já eram 18 as vítimas do acidente da TAM que moravam no Rio Grande do Sul identificadas pelo IML de São Paulo. Na madrugada de ontem chegaram à capital gaúcha os corpos do advogado Paulo de Tarso, da professora da PUC do Rio Grande do Sul, Valdemarina Bidone de Azevedo e Souza, de 62 anos que seria cremada no final da tarde; de Anderson Luís Falleiro Cassel, de 39 anos, gerente da transportadora Mercur; e Nelson Wiebbelling, de 59 anos, Valdemarina advogado tributarista cujo enterro ocorreu no município de Lajeado, sua cidade natal.   No início da tarde, junto com o corpo de Nelly, eram esperados os restos mortais do diretor geral do SBT, João Roberto Brito, de 45 anos, cujo velório estava marcado para o Solar dos Câmara, um anexo da Assembléia Legislativa gaúcha usado para eventos. No mesmo vôo 9572 veio o Fabiano Rosito Matos, de 30 anos, administrador financeiro.     Além deles já chegaram e foram enterradas no Sul as irmãs Silvania Regina de Ávila Alves (professora estadual) e Rosângela Maria de Ávila Severo (educadora e colaboradora das aldeias infantis SOS); o funcionário da Gerdau Peter Finzsch, de 28 anos, que foi enterrado no Cemitério São Leopoldo, município vizinho a Porto Alegre; o pastor Luiz Antônio Rodrigues da Luz, 43 anos (enterrado ontem à tarde em Guaíba); o médio e professor da PUC Antônio Carlos Araújo de Souza, de 56 anos (enterrado sexta-feira); Inês Maria Kleinowski, 49 anos, educadora da Aldeia SOS (sepultada sexta-feira); a oncologista Lina Cassol, de 28 anos (cremada em Porto Alegre); o ex-presidente do Sport Club Internacional, Paulo Rogério Amoretty Souza, de 60 anos (cujo enterro foi sexta-feira); o deputado federal Júlio Redecker, de 51 anos (levado para o Cemitério Jardim da Memória, em Novo Hamburgo); o gerente comercial do SBT, José Luiz Souto, de 53 anos (enterrado ontem em Porto Alegre) e o auditor contábil José Antônio Lima da Luz, de 60 anos (enterrado em Porto Alegre, quinta-feira).

Mais conteúdo sobre:
Vôo 3054mortos no vôo 3054

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.