''A Prefeitura tinha mais profissionais''

Celso Hahne, primeiro secretário de regionais (atuais subprefeituras)

PAULO SALDAÑA, O Estado de S.Paulo

23 Dezembro 2010 | 00h00

Em 1966, quando o prefeito Faria Lima (1965-1969) criou as primeiras cinco administrações regionais (Lapa, Vila Mariana, Sé, Penha e Mooca), o economista Celso Hahne foi convidado para colaborar com o projeto. Funcionário da Prefeitura desde 1947, permaneceu na empreitada para, em 1976 - durante a gestão de Olavo Setúbal -, tornar-se o primeiro secretário de Coordenação de Regionais, as atuais subprefeituras.

"Nossas preocupações eram o ambulantes e as construções irregulares", conta ele, aos 90 anos. Aposentado e morando em um apartamento na Lapa, zona oeste de São Paulo, Hahne avalia que hoje o cargo de subprefeito é preenchido politicamente - e não por técnicos. "No nosso tempo a Prefeitura tinha mais profissional de carreira", diz.

Apesar da avaliação de Hahne, as regionais já eram objeto de denúncias de corrupção desde o começo. A própria criação da secretaria ocorreu entre denúncias e o economista chegou a ser a apontado entre os envolvidos. Ele nega. "Nunca fui acusado. Entrei com a cabeça erguida e saí do mesmo jeito", diz ele, ressaltando que ficou até 1979 na Prefeitura.

Hahne foi sócio de uma empresa de transformação de resina plástica, presidente da Associação Brasileira da Indústria de Plásticos e do Clube Pinheiros. "Agora estou descansando, fico só em casa."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.