A partir do dia 12, Linha 4 vai funcionar até meia-noite

A linha 4-Amarela do Metrô de São Paulo funcionará das 4h40 à meia-noite, a partir do dia 12, de segunda-feira a sábado. Ainda incompleta, atualmente ela transporta passageiros somente até as 21 horas entre as Estações Butantã, Pinheiros, Faria Lima e Paulista. Aos domingos, por enquanto, a linha permanecerá fechada, por causa dos testes ainda inacabados com os novos trens automáticos. Na mesma data, as Estações Tamanduateí e Vila Prudente, da linha 2-Verde, também ficarão abertas até meia-noite, incluindo os fins de semana - um acréscimo de três horas de operação.

Felipe Frazão, O Estado de S.Paulo

04 de setembro de 2011 | 00h00

O anúncio foi feito ontem pelo governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), em visita às Estações Luz e República da Linha 4. Alckmin fez a primeira viagem oficial entre as estações - demorou 1 minuto e 27 segundos - e reafirmou compromisso de abrir os ramais ao público dia 15, no horário de teste das 10 às 15 horas, e apenas de segunda a sábado. Segundo Alckmin, o horário integral na Luz e República é "questão de semanas".

Quando estiverem abertas, Luz e República terão fluxo, respectivamente, de 132 mil e 100 mil pessoas por dia - ante as 200 mil que circulam por toda a linha 4 atualmente. Até o fim do ano, esse número chegará a 500 mil pessoas, estima a ViaQuatro, concessionária responsável por operar o ramal.

A segunda fase da linha 4 está em licitação. Segundo o Metrô, 15 consórcios apresentarão propostas para as obras no dia 22. O custo total é de R$ 2 bilhões.

Pane. Ainda ontem, Alckmin prometeu entregar neste ano seis novas composições para as Linhas 1-Azul e 3-Vermelha. E outras 14 em 2012. As composições antigas têm sido reformadas, mas apresentam problemas frequentes. Sexta, houve tumulto na Estação Sé, por causa da pane em um trem que circulava na Linha 3 há apenas três meses. "Foi um problema técnico e determinei apuração rigorosa; foi uma falha em um cabo de energia."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.