Imagem Fernando Reinach
Colunista
Fernando Reinach
Conteúdo Exclusivo para Assinante

A origem de todas as tecnologias

Em nossas andanças pelo planeta carregamos um símbolo de nosso desenvolvimento tecnológico. Uma síntese da tecnologia desenvolvida pelo Homo sapiens. Nosso telefone celular. A descoberta dos minerais e da arte da metalurgia está representada nas partes de alumínio e vidro. As descobertas das leis da óptica na câmara, da acústica nos microfones e alto-falantes. O desenvolvimento da química nas baterias, da eletricidade nos circuitos, que também representam a descoberta dos semicondutores. A astronomia e a tecnologia aeroespacial no GPS, junto com a cartografia. O telefone e o Wi-Fi são produto do estudo das ondas eletromagnéticas. Isso sem falar dos microprocessadores e todo o software que sumarizam nosso progresso na computação e na inteligência artificial. Tudo cabe numa mão.

Fernando Reinach, O Estado de S. Paulo

23 Maio 2015 | 03h00

Milhões de anos atrás, em suas andanças pelo planeta, nossos ancestrais também carregavam o resultado do seu desenvolvimento tecnológico. Um pedaço de rocha lascada. Ele representava não somente a tecnologia de sua produção, a técnica de escolher a rocha, como golpeá-la para obter lascas com bordas afiadas, mas seu uso na caça, no corte de vegetais e no preparo da comida. A pedra lascada está entre os primeiros objetos produzidos pela tecnologia. A história da tecnologia é a história da transformação de uma lasca de pedra em um telefone celular.

Até recentemente, os fragmentos de rocha lascada mais antigos datavam de 2,6 milhões de anos atrás, muito antes do surgimento do Homo sapiens, mas aproximadamente da época que surgiu o primeiro animal do gênero Homo, o Homo habilis.

A novidade é que agora foram encontrados fragmentos de rochas lascadas e das pedras que deram origem a esses fragmentos, que datam de 3,3 milhões de anos atrás. Isso empurra a origem do desenvolvimento tecnológico 700 mil anos em direção ao passado. Esse empurrão é enorme, representa 350 vezes o tempo que separa o nascimento de Cristo dos dias atuais.

A descoberta foi feita na beira do Lago de Turkana, no Quênia. São 149 fragmentos de pedra desenterrados em um único sítio arqueológico, chamado Lomekwi 3. Esse local, que hoje está a 10 km do lago, no passado estava na beira de uma praia. A área onde tudo foi achado é muito menor que um quarteirão moderno. Esses 149 fragmentos de pedra são os chamados “cores” (total de 83), blocos de pedra, muitos com mais de 3 kg, dos quais foram obtidas as lascas afiadas. E as lascas (“flakes”) propriamente ditas (total de 35). Além disso, foram descobertos outros sete objetos mais difíceis de classificar, mas provavelmente eram os martelos usados para bater nos “cores”, de modo a obter as lascas.

As rochas usadas eram de três tipos, basaltos (~35%), phonolitos (~34%) e trachy-phonolitos (~25%). Eram obtidas em um local distante 100 metros de onde os objetos foram encontrados. Isso sugere que esse era o local para onde as pedras eram transportadas e as lascas, produzidas. Uma pequena fábrica.

O trabalho feito pelos cientistas foi a análise detalhada da geologia do local. E esses dados permitem datar com precisão a época em que essas rochas foram depositadas ali. Os dados são precisos e permitem concluir que essas rochas foram lascadas 3,3 milhões de anos atrás.

Empurrar para o passado a origem da tecnologia não é uma grande novidade. Afinal, até o início do século 20, se acreditava que a tecnologia teria aparecido na face desse planeta juntamente com o surgimento do Homo sapiens, por volta de 1 milhão de anos atrás. Mas, em 1964, foram descobertos fragmentos de 2,6 milhões de anos, uma época em que nossa espécie ainda não existia, mas existia um parente nosso que foi denominado Homo habilis, talvez não sapiente mas já hábil. Mas agora a coisa complicou, pois 3,3 milhões de anos atrás os hominídeos ainda não haviam surgido e tampouco existiam os animais do gênero Homo. A conclusão é inescapável, a tecnologia, assim como pelos, dentes e a capacidade de caçar, surgiu antes de nós termos aparecido no planeta. Nossa contribuição foi levar adiante algo iniciado por espécies que nos antecederam. 

Essa é mais uma comprovação de que continuamos a saga de nossos ancestrais. Somos menos especiais do que gostaríamos de imaginar. O que chamamos de “nossa” tecnologia é a parte da história tecnológica desenvolvida no último bilhão de anos, o último terço da história da tecnologia. Pense nisso quando usar seu telefone inteligente.

MAIS INFORMAÇÕES: 3.3-MILLION-YEAR-OLD STONE TOOLS FROM LOMEKWI 3, WEST TURKANA, KENYA. NATURE VOL. 521 PAG. 310 2015

FERNANDO REINACH É BIÓLOGO

Mais conteúdo sobre:
Fernando Reinach

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.