A mãe de quem?

Risco Espanha

TUTTY HUMOR, O Estado de S.Paulo

10 de maio de 2012 | 03h04

No inferno astral em que se encontra a Espanha, francamente, não será surpresa se Lionel Messi desaprender a jogar futebol depois que for dirigido por Dunga em partida beneficente marcada para junho em Bogotá, na Colômbia.

Fique esperto

Já tem espertinho por aí arrecadando donativos pela internet para ajudar Rita Lee a pagar R$ 24.880 a cada um dos 16 PMs de Sergipe que reclamam na Justiça danos morais provocados por supostas ofensas a eles dirigidas pela cantora durante show numa Praia próxima de Aracaju. Não caia nessa: é golpe!

Futebol é o escambau

O Brasil é o país da apneia! A pernambucana Karol Meyer bateu dia desses seu próprio recorde na modalidade skandalopetra, descendo a uma profundidade de 68,9 metros no Mar do Caribe.

Vitrine carioca

Depois de Lula na semana passada, padre Marcelo Rossi também aderiu à bengala para circular no Rio. Periga virar moda na cidade!

Nada a ver

O Porcão não condicionou o contrato de patrocínio que negocia com o Flamengo à contratação de Adriano. E não se fala mais nisso, ok?

A mãe do traficante que dia desses espancou e raspou a cabeça da ex-nora atendendo a pedidos do filho na prisão é exceção à regra. Mães, em geral, são inocentes! A de Carlinhos Cachoeira morreu há menos de um mês, coitada, provavelmente de desgosto!

Imagina a vergonha da mãe do hacker que invadiu a privacidade de Carolina Dieckmann, expondo a nudez da atriz ao voyeurismo moralista na internet. Pobre senhora! Não merecia tamanho constrangimento às vésperas do Dia das Mães.

Nem precisa filho bandido, sobra sempre para as homenageadas do próximo domingo uma ponta de culpa pelos erros de seus rebentos. A mãe do Mano Menezes, por exemplo, será decerto muito citada amanhã, depois que o técnico anunciar nova lista de convocados da seleção.

Quem conhece a mãe - o pai é aquela flor que todos sabem - do Sérgio Cabral Filho tem absoluta certeza de que certas coisas não são hereditárias.

A mãe do John Travolta não praticava assédio sexual com seus massagistas e, no entanto, soube nesta semana pelos jornais que seu filho está sendo processado por isso.

Nenhuma delas - aí incluídas as mães de argentinos, em geral, e dos marcadores do Neymar, em particular - merece!

Preconceitomania

É tudo tão ruim no último clipe de Alexandre Pires, com participações especiais de Neymar e Mr. Catra, que fica até difícil julgar se faz sentido a suspeita de crime de racismo contra o vídeo de divulgação da música Kong. Em defesa do artista, é bom lembrar que, antes dele, o Ministério Público Federal de Uberlândia já tentou neste ano tirar de circulação o Dicionário Houaiss pelo "caráter discriminatório e preconceituoso" explícito no verbete "cigano".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.