Werther Santana/Estadão
Werther Santana/Estadão

A Igreja sambou neste carnaval. E gostou

Cardeal aprova desfile da Unidos de Vila Maria que destacou Nossa Senhora, na 1ª noite da festa em São Paulo

José Maria Mayrink, O Estado de S.Paulo

25 Fevereiro 2017 | 20h32

SÃO PAULO - A Unidos de Vila Maria cumpriu a promessa e a Igreja deu graças a Deus. Os representantes da Arquidiocese de São Paulo que negociaram com os carnavalescos o samba-enredo e os figurinos do desfile de sexta-feira, 24, na abertura do carnaval, ficaram muito satisfeitos. Nada de mulher seminua ou insinuação erótica, tudo com o esperado respeito à imagem da santa ao lembrar os 300 anos da aparição de Nossa Senhora Aparecida nas Águas do Rio Paraíba.

“Foi tudo muito bonito, não houve nada que desabonasse o desfile, foi uma bela homenagem, conforme o combinado”, afirmou o padre Tarcísio Mesquita, coordenador do Vicariato de Pastoral, que assistiu ao espetáculo no Camarote da Cidade, a convite da Prefeitura. Registrou a festa pelo celular e enviou fotos para o cardeal d. Odilo Scherer, que acompanhava tudo pela televisão. “Gostei principalmente das crianças vestidas de anjo no carro alegórico da Basílica de Aparecida e me emocionei com aquela pausa da bateria para realçar o canto do samba-enredo.” 

Segundo padre Tarcísio, o cardeal gostou do desfile, que em sua avaliação foi “decente”. Criticado por grupos conservadores da Igreja por ter apoiado a proposta da Unidos de Vila Maria, d. Odilo defendeu, em entrevista à Rádio Vaticano, em Roma, a apresentação de Nossa Senhora por uma escola de samba. Além da Arquidiocese, também os missionários redentoristas do Santuário Nacional de Aparecida deram orientação aos carnavalescos. 

O governador Geraldo Alckmin (PSDB), que nasceu em Pindamonhangaba, cidade vizinha de Aparecida, interrompeu a conversa com admiradores e amigos no camarote da Prefeitura, quando começou o desfile da Vila Maria. Gostou dos carros alegóricos e elogiou a fidelidade de reproduções do casario e da gente do Vale do Paraíba. 

Apesar de “contida”, a escola fez sucesso no Anhembi e, ao lado da Mocidade Alegre e da Gaviões da Fiel, saiu como uma das mais elogiadas da noite. A atual campeã, Império de Casa Verde, e a recordista de títulos paulistanos, Vai-Vai, ainda se apresentariam ontem.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.