Alfredo Rizzutti/Estadão
Alfredo Rizzutti/Estadão

A história do Jardim América

Da lama ao luxo, no primeiro bairro-jardim paulistano

O Estado de S. Paulo

23 Novembro 2015 | 22h02

O Jardim América é um pedaço nobre da cidade situado abaixo da Rua Estados Unidos, nos Jardins, e contido entre as ruas Groenlândia, Atlântica e Chile (Nove de Julho). Quem o projetou foi a dupla de urbanistas Barry Parker e Raymond Unwin, contratada pela Companhia City, uma empresa de investimentos imobiliários criada em 1912 e que teria papel estratégico no desenvolvimento da cidade. Poucos anos depois, em 1919, nasceria para as vendas o Jardim América, o primeiro bairro-jardim de São Paulo.

O loteamento foi considerado, na época, um investimento arriscado e um desafio arquitetônico. "Localizado em uma região considerada inadequada para a habitação, o novo bairro surgiu após a drenagem de um milhão de metros quadrados de charcos e pântanos, na margem norte do Rio Pinheiros", informa este especial do Acervo Estadão. Primeira área de loteamento planejado da capital, o Jardim América nasceu sob rígidas regras de zoneamento, direcionamento do trânsito e normas de construção com limites de ocupação do espaço. Virou padrão de qualidade para futuros empreendimentos do tipo.

Parker e Unwin já haviam criado um bairro-jardim em Londres, o Hampstead. A ideia era, portanto, aplicar por aqui o conceito de muito arvoredo, alamedas, praças, residências amplas erguidas em grandes terrenos bastante arborizados e com jeito de casa de campo. Eles foram contratados em 1915 e os primeiros terrenos começaram a ser vendidos em 1919 e, até a década de 40, os jornais ainda exibiam anúncios que prometiam a vida do campo, com todo o conforto, em plena capital. O sucesso foi total, basta circular por ali e ver as mansões.

Clubes de elite. Em 1916, quando a prefeitura desapropriou o Velódromo da Consolação para abrir uma nova rua, o Clube Atlético Paulistano seria desalojado. A organização então resolveu comprar um terreno na Rua Colômbia (e arredores), somando 40 mil metros quadrados para a nova sede, inaugurada em 1917. Naquele tempo, ainda não existia o bairro propriamente dito. 

Anos depois, na década de 30 e já com a região bastante consolidada, surgiria também na Rua Canadá a Sociedade Harmonia de Tênis. O prédio principal, projetado anos depois por Fábio Penteado, Alfredo Paesani e Teru Tamaki, é tombado pelo Condephaat desde os anos 90. Tem 2.500 metros quadrados e é considerado uma referência da chamada escola paulista de arquitetura. 

Nossa Senhora do Brasil. Uma das igrejas mais bonitas de São Paulo, a paróquia Nossa Senhora do Brasil tem eu seu altar principal a padroeira representada com seus traços índios e, no colo, o filho mestiço de preto e branco. Foi fundada no Jardim América em 1940 e inaugurada em 1958. 

Mais conteúdo sobre:
BairrosSP Jardim América

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.