DANIEL TEIXEIRA/AE
DANIEL TEIXEIRA/AE

A história da Vila Matilde

O bairro nasceu em 1922, quando o que hoje conhecemos como zona leste paulistana ainda era um grande vazio. Conheça outros destaques de sua trajetória

O Estado de S. Paulo

17 de agosto de 2015 | 15h29

1) No início da década de 1920, a região central de São Paulo era, na prática, o único pedaço urbanizado da cidade. As distâncias de um ponto a outro eram maiores e predominavam grandes vazios, fazendas e chácaras.

2) Na região que hoje é conhecida como zona leste, a avenida Celso Garcia (seu nome era Intendência) atravessava uma extensão bem grande de “nada”, que ligava o centro ao então povoado da Penha.

3) Os estrangeiros, sobretudo italianos, portugueses, espanhóis e árabes, compunham 35% da população da cidade. A cada 1 000 habitantes, 350 eram de fora do país.

4) Foi nesse cenário que em 1922 surgiu a Vila Matilde, a partir do loteamento de uma fazenda chamada Gavião.

5) Uma de suas primeiras e mais tradicionais escolas seria erguida nos anos 30, o Colégio São José. A igreja mais importante do bairro é de 1957 (Nossa Senhora do Belo Ramo).

6) A Vila Matilde foi construída ao redor de uma estação de trem inaugurada em 1921 no quilômetro 489 da Central do Brasil. O sistema, que ligava Rio de Janeiro, Minas e São Paulo, era importante para escoar a produção das fazendas, sobretudo de café.

7) O trecho ficava entre Guaiaúna e Penha, dentro da fazenda Gavião. Essas terras pertenciam a uma mulher chamada Escolástica Melchert da Fonseca que tinha uma filha chamada Matilde. É por isso que estação e bairro foram batizados com esse nome.

8) A estação foi desativada pela CPTM no ano 2000 e seu prédio está abandonado. Durante muito tempo, ela foi a única estrutura de transporte para moradores e trabalhadores da região, que até meados dos anos sessenta não tinha nem mesmo uma linha de ônibus fazendo a ligação centro-bairro.

9) O primeiro desfile oficial de escolas de samba de São Paulo ocorreu em 1968 e a escola campeã foi a Nenê de Vila Matilde, com um enredo que homenageava o poeta abolicionista Castro Alves. A agremiação foi criada em 1949 pelo mineiro Alberto Alves da Silva, o Seu Nenê (1921-2010).

10) Patrimônio da Vila Matilde, a Praça da Conquista representa literalmente a conquista de um espaço de convivência por parte dos moradores. É a principal referência do bairro, onde os jovens se encontravam antes das festinhas e onde os velhos se reúnem para jogar dominó. O local também tem outro apelido: Praça do Toco. Sucesso nos anos de 1980, funcionou por ali a danceteria Toco, desligada em 1997. No mesmo endereço da antiga boate, existiu o Cine São João, inaugurado em 1951 e onde todo mundo ia ver os filmes do Mazzaropi.

Tudo o que sabemos sobre:
bairrosspvila matildehistória

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.