Estadão
Estadão

A história da Aclimação e do Cambuci

O mais jovem nasceu de um parque de inspiração francesa; o outro, antigo, já foi passagem de tropeiros

O Estado de S. Paulo

18 Novembro 2015 | 19h49

Eles são vizinhos, mas suas origens são separadas por muitos anos. A Aclimação começou a ganhar mais residências apenas na década de 1930. O Cambuci já tinha pequenos comércios desde o século XIX.

Os motivos para que regiões tão próximas trilhassem caminhos diferentes são muitos. A Aclimação nos anos 1800 era apenas um grande terreno e pertencia ao Sítio Tapanhoim, que criava gado holandês na capital paulista. O ponto de virada veio com o médico Carlos José Botelho, em 1892. Ele adquiriu partes das terras para a instalar um grande parque inspirado no Jardim D'Acclimatation, de Paris. O logradouro acabou sendo sede do primeiro zoológico de São Paulo, centro de equitação e parque de diversões. 

Dificuldades financeiras fizeram com que a família Botelho vendesse o parque por um valor simbólico para a prefeitura. As terras em volta, que também pertenciam aos Botelho, foram loteadas no mesmo ano de 1939. Com isso o bairro começou  a surgir ganhando um caráter predominantemente residencial.

Já o Cambuci, que tem esse nome pela grande quantidade de árvores do tipo que havia na região, era ponto de passagem de tropeiros. Era ali que no começo da cidade passava uma trilha que ligava o centro e a Serra do Mar e Santos.

 A parada era quase que obrigatória para quem encarava o caminho: o córrego dos Lavapés (por onde hoje passa a rua do mesmo nome) servia para dar de beber aos animais e lavar os pés antes de chegar à cidade. Um ponto que logo chamou a atenção dos comerciantes e que atraia moradores para a construção de sítios e chácaras. 

Enquanto a Aclimação não tinha ainda nem mesmo o parque de Botelho, o Cambuci já era sede da uma pequena capela (a Nossa Senhora de Lourdes, erguida em 1870, e que originou a hoje Paróquia Nossa Senhora da Glória). Também contava com uma linha de bonde, que chegou ao bairro em 1890. 

Desenvolvimento. As primeiras ruas começaram a ser demarcadas na Aclimação nas primeiras décadas do século XX e em um ritmo acelerado. Em 1900 existiam apenas vias estratégicas, como Vergueiro, Lins de Vasconcelos ou Tamandaré.

Cerca de vinte anos depois até mesmo as ruas que receberam nomes de pedras preciosas, do tipo Ágata, Safira e Esmeralda, já constavam nos mapas.

Enquanto isso o Cambuci teve um papel fundamental na revolução de 1924. A Igreja da Glória, o ponto mais alto do bairro, foi dominada e ocupada pelas tropas revolucionárias. O bairro acabou sendo alvo de bombardeios e uma das regiões mais danificadas na cidade. 

Hoje ambos têm vocação residencial. A Aclimação, que deixou de ser oficialmente um subdistrito em 1986, quando a cidade foi reorganizada em 96 distritos, concentra a classe média alta da região. O Cambuci faz parte do distrito da Sé e tem uma população de 36.948, sua maioria de classe média.

Mais conteúdo sobre:
BairrosSPAclimação e Cambuci

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.