Marcio Fernandes/AE - 2/2/2009
Marcio Fernandes/AE - 2/2/2009

À espera do aumento da inspeção, Controlar impede emissão de boleto

Empresa alega que suspensão do serviço está prevista em contrato; especialistas criticam e Prefeitura diz que publicará hoje o reajuste

Mariana Lenharo e Tiago Dantas, O Estado de S.Paulo

04 Janeiro 2011 | 00h00

Quem resolveu aproveitar o primeiro dia útil de 2011 para pagar e agendar a inspeção veicular em São Paulo, antes do aumento da tarifa anunciado pela Prefeitura para amanhã, viu a primeira meta de ano-novo ser frustrada. O site da Controlar, empresa responsável pelo procedimento, suspendeu durante todo o dia de ontem a emissão do boleto bancário da inspeção. O pagamento é pré-requisito para o agendamento.

Segundo a Controlar, essa medida foi adotada enquanto a Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente não publica a portaria que determina o valor da nova tarifa e a data em que ela entra em vigor. Ainda de acordo com a empresa, quem já tinha pago o boleto até 31 de dezembro conseguiu fazer o agendamento.

Em nota, a secretaria municipal informou que a nova tarifa - que salta de R$56,44 para R$ 61,98, um aumento de 9,81%, - seria divulgada no Diário Oficial hoje. O valor foi anunciado, como provisório, pelo prefeito Gilberto Kassab (DEM), na quinta-feira. Na ocasião, ele afirmou que a Prefeitura estava terminando um "estudo de reequilíbrio financeiro do contrato" com a Controlar e o valor poderia ser revisto.

Sem base jurídica. De acordo com especialistas na área de Direito, a suspensão de parte do serviço público oferecido pela Controlar não tem base jurídica. "Uma concessionária de serviço público não pode interromper a prestação de serviço", disse o presidente da Comissão de Direito Administrativo da Ordem dos Advogados do Brasil, seção São Paulo (OAB-SP), Adib Kassouf Sad.

Por meio de sua Assessoria de Imprensa, a Controlar afirmou que a suspensão da emissão dos boletos bancários está prevista no contrato firmado com a Prefeitura. Conforme o documento, deve haver um reajuste anual da tarifa, já válido no primeiro dia útil do ano.

Ônibus. Hoje é o último dia para carregar o bilhete único paulistano com a tarifa de ônibus a R$2,70. A partir de amanhã, o preço da passagem passa para R$ 3. A recarga, sem limite de validade, pode ser de no máximo R$ 100 e o cartão acumula créditos até R$ 200.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.