À espera da aposentadoria

DESCASO COM PROFESSORA

O Estado de S.Paulo

22 de maio de 2012 | 03h03

Sou professora e fui aposentada compulsoriamente pela Secretaria da Educação, em 14/5/2011, quando completei 70 anos. Ou seja, isso já faz mais de um ano e até hoje o pagamento da minha aposentadoria não foi homologado na SPPrev, apesar das minhas inúmeras idas e vindas em busca dos meus direitos. Não solicitei a aposentadoria, que me foi imposta por lei, e, como já esgotei todos os meus esforços para resolver a questão na Diretoria de Ensino Centro-Oeste, recorro ao Estadão. ANTONINA MARIA RAMOS DE OLIVEIRA PATERLINI / SÃO PAULO

A Assessoria de Relacionamento Institucional SPPrev informa não ter localizado registro de entrada de processo de aposentadoria na São Paulo Previdência em nome da sra. Antonina.

A Secretaria da Educação do Estado de São Paulo informa que o processo de aposentadoria da professora sra. Antonina foi encaminhado à SPPrev dia 11/5, após concluída a documentação para a ratificação do tempo de serviço na Diretoria Regional de Ensino Centro-Oeste. Mesmo nesse caso de parada compulsória, o procedimento é necessário para fins de cálculo de atualização dos proventos pagos à servidora, que já tem uma aposentadoria.

A leitora relata: Preocupa-me e muito o fato de que, somente após a interferência do jornal, meu processo foi enviado à SPPrev. Sabe-se lá quanto tempo ele irá permanecer sem resposta. Mais um ano? Quanto ao fato de eu ter uma aposentadoria, ela não me foi dada gratuitamente, fiz jus a ela, após 27 anos de trabalho no Sesi.

TELEFÔNICA-VIVO

Internet limitada

Contratei o plano ilimitado da Vivo 3G, mas minha conexão começou a ser limitada. O fato é que o serviço apresenta vícios e não funciona adequadamente. Além disso, não fui informado sobre nenhuma limitação no ato da aquisição, e o contrato não cita claramente quais são esses limites. Fui ludibriado por essa propaganda enganosa e lesado por essa prática abusiva. Espero conseguir desbloquear a minha internet 3G definitivamente, pois estou pagando um preço absurdo para utilizar apenas 10% de velocidade do meu plano.

RENATO FERNANDES

/ SÃO PAULO

A Telefônica-Vivo informa que apurou o caso do sr. Fernandes e não localizou nenhuma anormalidade no serviço mencionado. A empresa enviou o contrato do serviço para o endereço do cliente, que se encontra ciente das informações.

O leitor responde: O problema não foi solucionado. A empresa disse que não pode desbloquear minha Vivo 3G e que continuarei tendo minha velocidade reduzida.

VIRADA CULTURAL

Roubo e violência

Fui roubado durante a Virada Cultural, na Av. São João com a Rua Vitória. Havia gangues ali. Roubaram meu iPhone e minha carteira. Policiais da Guarda Civil Metropolitana (GCM) estavam próximos do ocorrido e nada fizeram. E, quando eu estava fazendo uma denúncia por outro celular, tentaram roubá-lo também. Houve mais 5 denúncias do mesmo tipo de roubo e os policiais nada fizeram.

RICARDO NAGY / SÃO PAULO

A Secretaria Municipal da Segurança Urbana informa que a 8ª Virada Cultural contou com reforço na segurança com efetivos da Polícia Militar e da GCM que somaram mais de 4 mil oficiais, além de 950 seguranças particulares contratados pela SPTuris. Até o momento, a secretaria não teve conhecimento de situação como essa apresentada pelo leitor. O denunciante será chamado pela Corregedoria para formular a denúncia e tentar localizar os envolvidos em possível omissão. Reforça que qualquer denúncia sobre integrantes da GCM deve ser fundamentada e entregue à Corregedoria da GCM, que age com total imparcialidade, apurando situações que envolvam os agentes. As denúncias podem ser feitas por: 3214-3624/3251-3276/3266-8271, que funcionam 24 horas, por e-mail, csucorregdtpcifd@prefeitura.sp.gov.br ou pessoalmente na Rua Pedroso, 322 - Bela Vista,

Os dados do denunciante serão mantidos em sigilo.

O leitor reclama: Ao contrário do que a secretaria diz, houve muitos furtos e roubos, amplamente divulgados pela mídia. No momento em que fiz a denúncia, havia mais três pessoas fazendo a mesma queixa, no mesmo lugar. Cheguei a sofrer agressões físicas do bando que me roubou, por tê-los denunciado. O que vi foi uma enorme omissão, talvez pelo contingente baixo de GCMs. Os policiais pareciam estar acuados diante de tantos bandidos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.