A 'classe média' da favela

Luciana Nunes Leal, O Estado de S.Paulo

21 de abril de 2011 | 00h00

Fernanda: 'O problema é a escadaria'.

 

Quando foi morar com o marido, o porteiro Adailton Mateus, na Ladeira do Coqueiro, a dona de casa Fernanda Mateus, de 29 anos, tinha de passar por dentro da casa da sogra. Nas horas de folga, Adailton construiu um corredor e uma passagem independente para a casa de sala e dois quartos.

Hoje, o casal vive com dois filhos, uma menina de 8 anos e um bebê de 2 meses em um dos locais classificados como "Miolo" do Borel. "O problema é essa escadaria", diz Fernanda. Ela reconhece, no entanto, que o ponto onde mora tem a grande vantagem de estar mais perto da entrada da favela.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.