A cidade ''clean'' traz paz aos cidadãos

Marc Gobé. Designer e cineasta francês se diz maior fã da Lei Cidade Limpa

Vitor Hugo Brandalise, O Estado de S.Paulo

15 Maio 2011 | 00h00

Quando vem a São Paulo, o designer e cineasta francês Marc Gobé tem a sensação de que a cidade é "ampla". Presta atenção na arquitetura dos parques, na arte dos grafiteiros osgemeos e até na variedade "imperceptível" das janelas dos prédios. Entusiasta da Lei Cidade Limpa, Gobé - autoridade mundial em Marketing - acredita que o aspecto mais "clean" da cidade transmite aos cidadãos sensação de paz.

"Vim antes da lei e sentia que a cidade era dinâmica, mas feia e opressiva. Não dava vontade de ficar. Depois, vi um ambiente mais em paz, simples. Pude ver a cidade pela primeira vez com clareza." Notou, então, que os grafites no "beco do Batman", na Vila Madalena, não são meras pichações e se apaixonou pelo Cambuci dos artistas gêmeos. "Sou do ramo do Marketing, mas me converti como maior fã da lei contra outdoors."

Exceção. Na quarta-feira, porém, o designer se preocupou. Viu nos jornais que o Edifício Guinle, na Rua Direita, conseguiu autorização para expor marca publicitária na tela que recobre a fachada do prédio tombado enquanto durar um restauro. "A cidade precisa avaliar e valorizar o impacto dessa exceção. São Paulo tem de entender que qualquer decisão pode impactar seu modelo internacional. A cidade é vista como exemplo e a imagem é importante."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.