A biblioteca do ponto de ônibus

Depois de cinco bibliotecas em estações de metrô e trem, o paulistano agora ganha o primeiro acervo de livros em um ponto de ônibus. Inaugurada há uma semana no Terminal Sacomã, a Biblioteca Leitura no Ponto já tem cem usuários cadastrados e realizou mais de 70 empréstimos.

Edison Veiga, O Estado de S.Paulo

08 de novembro de 2010 | 00h00

"Entre os mais retirados estão A Menina Que Roubava Livros, de Makus Zusak; Anjos e Demônios, de Dan Brown; O Caçador de Pipas, de Khaled Hosseini; e A Cabana, de William P. Young", enumera William Nacked, diretor-geral do Instituto Brasil Leitor - organização responsável pelo projeto.

Mas nem só de best-sellers, como os citados, vive o acervo de 2,1 mil exemplares: há títulos de Literatura Brasileira, obras infanto-juvenis, livros de filosofia, religião, ciências sociais, artes e história.

Para emprestar um livro da Leitura no Ponto, basta fazer um cadastro, de graça. É preciso apresentar cópia do documento de identidade e do CPF, uma foto 3x4 e comprovante de residência. Menores de 18 anos têm de estar acompanhados dos pais na hora de fazer a carteirinha.

OLHA SÓ...

Cinco anos

A Passagem Literária da Consolação - que passa por baixo da avenida homônima, quase na esquina com a Paulista - comemora o quinto aniversário. O endereço estava deteriorado em 2005, quando foi reformado pela Subprefeitura da Sé e virou ponto de livreiros - outrora ambulantes - e de exposições de arte.

Agenda cheia

Para celebrar a efeméride, o local deverá ser palco, ao longo do mês, de apresentações musicais, espetáculos teatrais e de uma nova exposição. A programação completa pode ser conferida no blog da coluna (blogs.estadao.com.br/edison-veiga).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.