A argumentação da Promotoria

A argumentação da Promotoria

"Estamos falando de fatos provados cientificamente, senhores jurados", disse Francisco Cembranelli

, O Estadao de S.Paulo

27 Março 2010 | 00h00

"Eles não querem vingança, mas justiça", olhando para os jurados e apontando para a plateia

"Não venham dizer que viviam bem. (Jatobá) Era descontrolada, eles viviam às turras"

"Como a defesa não pode discutir a perícia, vão dizer que a perita não presta. Se essa perícia fosse apresentada num episódio do CSI, todos aplaudiriam."

"Não pedirei a condenação por crenças. Uma crença é pular sete ondas no mar e achar que você vai ter sorte o ano inteiro. Não há nada científico que comprove isso. Aqui nós vamos discutir fatos"

"As honras dessas pessoas foram atacadas por oportunistas que usaram o caso Isabella como pista de pouso para seus projetos pessoais. Eu me refiro à perita trapalhona (Delma Gama) e a um médico-legista que nunca viu um corpo na vida (George Sanguinetti, contratados pela defesa para desconstruir os laudos técnicos)"

"Por solidariedade, o ladrão limpa o apartamento, faz faxina, sai, tranca a porta e desce, sabendo que havia mais de 30 policiais (no prédio)"

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.