A Academia vai à escola

Membros da Academia Paulista de Letras (APL) terão de voltar à carteira da escola. Isso porque o projeto Escritor na Escola, que está na segunda edição, levará nomes como Lygia Fagundes Telles e Ignácio de Loyola Brandão para palestrar em dois centros de ensino público na zona norte (cada um com 2 mil alunos). Além das apresentações dos acadêmicos, convidados promovem oficinas, narrações de histórias, peças teatrais, saraus, lançamentos de livros e um concurso literário. "Os estudantes estão bem empolgados", afirma Plantina Melo, diretora da Escola Estadual Buenos Aires, em Santana. "Principalmente com os prêmios em dinheiro que serão dados aos vencedores do certame." Para o presidente da APL, José Renato Nalini, é dever da Academia criar iniciativas do tipo. "Precisamos incentivar a leitura", diz. "E justificar à população o dinheiro público que mantém a APL."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.