Paulo Liebert/AE
Paulo Liebert/AE

8 filhos, 16 netos e mais bela de SP

Dona de casa de 68 anos, que vive na zona leste da cidade, venceu ontem concurso de beleza

Paulo Sampaio, O Estado de S.Paulo

06 Maio 2011 | 00h00

Eleita ontem a mais bela idosa de São Paulo, a dona de casa Maria da Conceição Liberato, de 68 anos, 1,75 metro, 7 centímetros de salto, recebe o troféu dentro de um longo prateado com apliques em paetês assinado pelo próprio marido. "Quero levá-la para os Estados Unidos! Ela vai ser a rainha do Barack Obama", diz, orgulhoso, o modelista José Ademir de Melo, de 54 anos, segundo marido de Conceição. Com o primeiro, ela teve oito filhos, que lhe deram 16 netos. Ademir é uma conquista recente: ela o conheceu há dois anos, em um baile da terceira idade.

Vinte e cinco finalistas com idades entre 60 e 88 anos participaram do desfile patrocinado pela Secretaria de Estado da Saúde no auditório do Instituto Paulista de Geriatria e Gerontologia, em São Miguel Paulista, na zona leste.

Apesar da força do marido, Conceição não teria se inscrito se não fosse a curiosidade da filha mais velha, Rosimeire, de 49 anos, que é empregada doméstica e descobriu o concurso folheando o jornal da patroa. Diz que não precisou insistir para a mãe participar. "Ela fez charme, mas logo topou."

Apesar do porte exuberante, Maria da Conceição não é das mais espevitadas no zum-zum-zum dos bastidores. "Uhu!", diz Irene Rodrigues Ribeiro, de 60, eleita Miss Elegância. Animada, ela até cantou.

Na fila para desfilar, as concorrentes pareciam uma turma de primário prestes a sair para um alegre passeio escolar. "Você não me entrevistou ainda!", diz, levantando o indicador, a orientadora habitacional aposentada Maria Augusta Pinheiro, de 70. Ela afirma sem amargura que é a segunda e última vez que participa do concurso. Só por isso, ganhou na categoria Miss Timidez. Se é que tinha alguém tão tímida ali que merecesse tal comenda.

Ao lado está Edna Custódio, de 64, louca para contar que faz um curso sênior de Educação Física. A bicampeã Maria Dias Cobama, de 74, diz que valeu a pena gastar R$ 150 no aluguel do longo bordô. Atrás dela, Marlene Jimenez, de 63, Miss Simpatia Ibirapuera, conta que foi professora da rede pública durante 30 anos e se aposentou "assim que começou a bandidagem". "Era bomba em sala de aula, agressão aos professores. Eu, ó, saí fora."

As candidatas desfilam ao som de músicas como Garota Nacional, do Skank, Bem Que Se Quis, da Marisa Monte, e - a mais aplaudida - Fogo e Paixão, de Wando.

Torcida e aplausos. A mais ovacionada, Eunice Molina, de 88, 1,42 metro, sorriu, fez poses e acenou para a torcida do Recanto Nosso Lar. "Tô numa enrascada", comentou a jurada Celina Aquino, de 53, ao microfone. "Tem muita mulher bonita, gente!" Palmas e gritos gerais.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.