7 são degolados no interior de Goiás

Vítimas foram encontradas em uma fazenda em Doverlândia, a 400 km de Goiânia; polícia suspeita de rixa entre autores e filho do dono

WILLIAM CARDOSO, O Estado de S.Paulo

30 Abril 2012 | 03h01

Sete pessoas foram degoladas na noite de sábado na Fazenda Nossa Senhora Aparecida, em Doverlândia, Goiás, a 403 quilômetros da capital, Goiânia. A polícia ainda não sabe os motivos da chacina, mas existe a possibilidade de que tenha sido motivada por uma rixa entre o filho do fazendeiro e os autores do crime. Dois homens foram presos ainda na noite de sábado sob suspeita de terem participado da ação.

A chacina aconteceu por volta das 21 horas. Segundo testemunhas ouvidas pela polícia, dois homens invadiram a casa principal da fazenda e mataram o proprietário, Lázaro de Oliveira Costa, de 57 anos, e o filho dele, Leopoldo Rocha Costa, de 22.

Em seguida, os criminosos foram até a residência do caseiro, distante 200 metros da casa principal, e degolaram outras três pessoas. Quando fugiam, encontraram outras duas vítimas que chegavam à fazenda em uma caminhonete e tiveram também as cabeças arrancadas.

A polícia encontrou no local os corpos de Joaquim Manoel Carneiro, de 61 anos, Miraci Alves de Oliveira, de 65, Heli Francisco da Silva, de 44, Tamis Marques Mendes da Silva, de 24, e de Adriano Alves Carneiro, de 22. "Todos foram mortos a pauladas e degolados em seguida. É uma tragédia muito estranha, que com certeza chocou a todos", afirmou o sargento Bento do Carmo Oliveira, de Caiapônia, cidade distante cerca de 72 quilômetros de Doverlândia, responsável pela área.

Fuga. Segundo testemunhas, a dupla fugiu na caminhonete até a Rodovia GO-221, onde os dois homens pegaram uma moto e seguiram em direção ao município de Ribeirãozinho, em Mato Grosso. No meio do caminho, segundo a polícia, os dois bandidos teriam queimado a moto para não deixar vestígios da execução do crime.

Na noite de sábado, os dois suspeitos foram presos quando chegavam em Bom Jardim de Goiás e levados para Aragarças, a cerca de 135 quilômetros da cidade de Doverlândia.

"Foi feito um cerco para pegá-los por lá. Segundo informações, um dos que estavam na moto teve uma intriga com que o rapaz que morreu", afirmou o sargento.

O dono da fazenda era natural de Prata, em Minas Gerais. A propriedade fica cerca de 40 quilômetros distante do centro de Doverlândia.

Paraná. Em setembro de 2008, 15 pessoas foram assassinadas em uma chacina ocorrida no município de Guaíra, no oeste do Paraná. O crime foi motivado à época por vingança pela morte de um traficante assassinado a mando do dono da chácara onde ocorreu a chacina.

Os bandidos saíram do Paraguai, atravessaram o Lago de Itaipu em um barco, mesmo meio de transporte utilizado para a fuga. Os mortos foram atingidos por tiros na cabeça e no rosto e algumas pessoas que estavam no local se fingiram de mortas para escapar do assassinato.

Jair Corrêa, de 52 anos, acusado de ser o mentor do crime, admitiu à polícia que era uma vingança pela morte de seu enteado, Dirceu Pereira de França, ocorrida cerca de 20 dias antes da tragédia. França teria sido assassinado por causa de uma dívida de R$ 4 mil com Jossimar Marques Soares, o Polaco, um dos mortos na chacina e dono da chácara onde ocorria a festa no momento da matança. / COLABOROU DIEGO ZANCHETTA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.