56% da população conhece uma mulher agredida

Pesquisa indica que essa realidade não varia nem pelas classes sociais; conscientização sobre crimes está aumentando

Rodrigo Burgarelli, O Estado de S.Paulo

06 de agosto de 2013 | 02h06

Cerca de 65 milhões de brasileiros - ou 56% da população - conhecem uma mulher que já sofreu agressão de um parceiro. Os números são de pesquisa feita pelo Data Popular em parceria com o Instituto Patrícia Galvão com foco em violência doméstica. Segundo o estudo, essa realidade não varia de acordo com a classe social - porcentagem similar de pessoas nas classes A e B (63%), C (54%) e D e E (53%) afirmaram saber de ao menos um caso do tipo.

A pesquisa foi feita com base em 1.501 entrevistas com maiores de 18 anos em 100 municípios das cinco regiões brasileiras. Ela também traz informações que revelam o tamanho da preocupação do brasileiro em relação à violência contra as mulheres. No geral, os entrevistados afirmaram que a agressão contra mulheres é o terceiro crime visto como mais recorrente no Brasil, atrás apenas de assassinatos e roubos e na frente de tráfico de drogas e corrupção.

"A violência doméstica esteve no imaginário como um comportamento do âmbito privado, onde 'ninguém deveria meter a colher'. Agora percebemos uma preocupação de todos em denunciar e exigir a atuação responsável do Estado nesses casos", disse Ingrid Leão, coordenadora do Comitê Latino-Americano e do Caribe para a Defesa dos Direitos da Mulher.

Outros dados reforçam essa percepção. Apenas 2% dos entrevistados, por exemplo, afirmaram nunca ter ouvido falar da Lei Maria da Penha, e 85% deles acreditam que a Justiça não pune os agressores de maneira adequada. "Isso é um grande avanço. Significa que o debate público em relação a esse assunto avançou", avaliou Renato Meirelles, presidente do Data Popular.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.