ALEX SILVA/ESTADAO
ALEX SILVA/ESTADAO

55% é contra Doria abandonar cargo para disputar eleições, diz Datafolha

Em entrevistado ao Estado, Doria admitiu pela primeira vez que pode deixar o cargo para se candidatar ao governo estadual

O Estado de S. Paulo

08 Abril 2017 | 18h43

SÃO PAULO - Para a maioria dos moradores de São Paulo, o prefeito João Doria (PSDB) não deve abandonar o mandato para ser candidato nas eleições de 2018, segundo o Datafolha. A pesquisa, divulgada neste sábado, 8, mostra que 55% dos moradores acham que ele deve cumprir seu mandato. 

Em entrevista ao Estado, publicada neste sábado, Doria admitiu pela primeira vez que pode deixar o cargo para se candidatar ao governo estadual. Isso caso haja um pedido do governador Geraldo Alckmin (PSDB), ao qual reforça a fidelidade sempre que confrontado com a possibilidade de uma candidatura a presidente.

A pesquisa Datafolha, no entanto, mostra que apenas 13% dos moradores acham que Doria deveria disputar a vaga ao governo estadual e outros 14% para presidente. 

Avaliação. No fim de seu primeiro trimestre de gestão, o tucano tem aprovação recorde na comparação com os seus antecessores na Prefeitura de São Paulo. A pesquisa mostrou que 43% dos moradores aprovam sua administração, 33% a consideram regular e 20% a reprovam - 4% dos entrevistados não opinaram. 

A reprovação de Doria aumentou nos últimos meses. Em fevereiro, 13% consideravam sua administração ruim ou péssima - agora, são 20%. 

A avaliação positiva da gestão de Doria é puxada pelos mais ricos (67%) e pelos que têm ensino superior (56%). 

No primeiro trimestre à frente da prefeitura, Fernando Haddad (PT) tinha aprovação de 31%, Gilberto Kassab (PSD) teve 16% de aprovação, ante 24% de Paulo Maluf (PP) e Celso Pitta, 20% de José Serra (PSDB) e 34% de Marta Suplicy (PT).

No entanto, os 20% de reprovação de Doria já superam à de Haddad - que, no mesmo período, era de 14%.

 

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.