53 distritos de SP não terão reajuste de IPTU; tire suas dúvidas

Justiça autorizou nesta quarta-feira o prefeito Fernando Haddad a reajustar imposto na cidade de São Paulo

O Estado de S. Paulo

26 de novembro de 2014 | 20h31

Após cinco derrotas consecutivas no Judiciário, o prefeito Fernando Haddad (PT) foi autorizado na tarde desta quarta-feira, 26, pela Justiça a aumentar o Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) de 1,6 milhão de contribuintes, metade do total. Saiba o que muda na prática com a decisão. 

1. Com a decisão, será preciso pagar novo boleto de IPTU neste ano?

Não. A Prefeitura resolveu não cobrar o imposto de forma retroativa, por isso ele valerá a partir de 2015.

2. Como vou saber quanto pagarei a mais de imposto em 2015?

Os índices de reajuste permanecem os mesmos. A Prefeitura apenas vai retirar da conta a inflação já cobrada neste ano. Na prática, o aumento máximo será de 29,4% para o comércio e de 14,4% para residências.


3. O imposto será reajustado em todas as regiões da cidade?

Não. Segundo a Prefeitura, 53 dos 96 distritos não terão reajuste por causa de normas estabelecidas ontem. Nos demais, 26 pagarão aumentos acima da inflação e 17, dentro da inflação deste ano.

4.Quantos contribuintes ficarão isentos do pagamento no ano que vem?

De acordo com a Prefeitura, os isentos passarão dos atuais 1,05 milhão para 1,1 milhão. Além disso, 350 mil terão redução no imposto de cerca de 10%.

Tudo o que sabemos sobre:
IPTUFernando HaddadSão Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.