500 cruzamentos de SP terão placa azul na faixa

500 cruzamentos de SP terão placa azul na faixa

Ação integra Programa de Proteção ao Pedestre, que começou no ano passado; sinalização de LED estará na frente de shoppings, por exemplo

BRUNO RIBEIRO, O Estado de S.Paulo

02 de agosto de 2012 | 03h03

Uma nova forma de avisar os motoristas sobre a existência de faixas de pedestres será adotada pela Prefeitura e deverá estar em 500 cruzamentos da cidade em até 45 dias. Placas luminosas azuis serão instaladas a uma altura de 4 metros sobre as faixas, permitindo que sejam vistas de longe. É mais uma ação da Prefeitura como parte do Programa de Proteção ao Pedestre, que começou no ano passado.

Conforme o Estado antecipou em março, uma placa desse tipo vinha sendo testada desde dezembro na Rua Boa Vista, na região central da cidade.

A placa quadrangular azul tem pintada uma faixa branca e um pedestre estilizado. Além de luzes internas que destacam a sinalização, o equipamento tem LEDs na parte externa, voltados para o chão, que iluminam os pedestres que passarem sob a área - a proposta é reduzir as chances de atropelamentos à noite.

Uma licitação, na forma de pregão eletrônico, foi publicada pela Prefeitura no dia 28 para definir a compra dos equipamentos. O processo será encerrado no dia 14. A empresa vencedora terá 30 dias para instalar os primeiros cem equipamentos e, então, até cinco meses para o restante.

"O luminoso representa uma sinalização de reforço à existente na via e não uma sinalização nova que os motoristas e pedestres devem respeitar. O painel é colocado em uma estrutura metálica de 4 metros de altura e o principal objetivo é reforçar a visualização de faixas de pedestres existentes no meio de quadras", diz nota da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET).

Locais. As placas serão instaladas em lugares com grande atração de pedestres, como na frente dos Shoppings D, Ibirapuera, Campo Limpo e Villa-Lobos, além da porta de escolas e de hospitais.

A região do Aricanduva, na zona leste, que teve 62 atropelamentos com morte em 2011, receberá 22 placas. Higienópolis, na região central, teve 19 mortes em 2011 e vai ganhar 21.

Só a Avenida Guilheme Cotching, na zona norte (na continuação da Ponte da Vila Maria), que concentra muitos pedestres e também muitos caminhões, receberá 18 placas.

A empresa que vencer a licitação terá de fazer a manutenção da sinalização por um ano. A previsão é de que o projeto custe até R$ 4,5 milhões.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.