45 CEUs agora têm internet sem fio grátis

Quem mora a até 300 metros dos centros educacionais também pode usar o serviço

ARTUR RODRIGUES, O Estado de S.Paulo

04 Outubro 2012 | 03h04

Os 45 Centros Educativos Unificados (CEUs) de São Paulo passaram a ter Wi-Fi grátis. E a rede também poderá ser usada gratuitamente por pessoas que moram perto desses equipamentos.

Para utilizar a internet sem fio, bastará fazer um cadastro no colégio. A senha expira a cada sete dias, criando a necessidade de renovação periódica. O alcance será de até 300 metros ao redor dos complexos escolares. "Vamos atingir, na implementação da primeira etapa, 1 milhão de pessoas, entre alunos, servidores, professores e comunidade", disse o prefeito Gilberto Kassab (PSD), durante cerimônia no CEU Jaguaré, na zona oeste.

De acordo com a Secretaria Municipal de Educação, todos os centros educacionais têm pelo menos dois links de acesso, para evitar a queda total de sinal. A velocidade da internet nas unidades está sendo aumentada gradualmente. Onze pontos, atualmente, chegaram a 8 Mbps (megabits por segundo), conforme a Prefeitura - o que permite uma boa utilização.

Nos arredores do CEU Jaguaré, a maioria da população ainda não sabia da opção de internet gratuita. "Vou testar na minha casa. Se o sinal estiver bom, posso até pensar em parar de pagar", disse a estudante Carla Nunes, de 21 anos, que mora perto da unidade. A administração municipal informou que investiu R$ 40 milhões na rede sem fio das unidades educacionais.

As equipes gestoras dos centros educacionais estão passando por treinamento para orientar a população sobre como usar a internet. Além dos CEUs, o Centro Educativo e Cultural de Heliópolis, na zona sul, também passou a ter internet sem fio.

Voltados a cultura e lazer, os CEUs de São Paulo encontram-se predominantemente em bairros de regiões periféricas da capital paulista.

Escolas. O programa está sendo adotado nas Escolas Municipais de Ensino Fundamental (Emefs). No entanto, nessas unidades a internet não poderá ser utilizada pelos vizinhos. "Nas Emefs, o acesso será para os professores, focado no processo pedagógico", disse o secretário adjunto de Educação, João Thiago de Oliveira Poço.

O secretário afirma que, além da internet, haverá outros investimentos em tecnologia dentro das salas de aula do Município. Os professores já estão recebendo tablets. No total, serão 8 mil equipamentos, incluindo diário de sala eletrônico.

Desde agosto, estudantes do ensino fundamental, pais e professores podem utilizar uma rede virtual. Denominado Portal Interativo, o site tem opções para os alunos complementarem o trabalho feito em sala de aula. Já os pais podem acompanhar o desempenho dos filhos por meio da página.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.