40% sofrem violência desde o início da relação

Em 57% dos casos contabilizados pela Secretaria de Política para as Mulheres, os maus-tratos são diários

Gabriela Moreira / RIO, O Estado de S.Paulo

05 de agosto de 2010 | 00h00

Quatro entre dez mulheres que recorrem ao Ligue 180, serviço da Secretaria de Política para as Mulheres, do governo federal, são vítimas de agressão desde o início do relacionamento. A violência é diária em 57% dos casos.

Os dados são referentes ao período de janeiro a julho deste ano. O número de denúncias cresceu 112% (de 161,8 mil para 343 mil) em relação ao mesmo período de 2009. Em 72% das situações, as mulheres continuam a viver com o agressor. Já 14,7% dos agressores são ex-namorados ou ex-companheiros.

Entre os crimes relatados estão violência física, moral, sexual, patrimonial e psicológica. Metade das mulheres afirma correr risco de morte.

Para a secretária de Enfrentamento da Violência contra a Mulher, Aparecida Gonçalves, o que aumentou foi a coragem das vítimas. "O 180 não é a polícia e isso deixa as mulheres mais encorajadas a falar. Orientamos a buscar ajuda em centros de referência para apoio psicológico e em hospitais e damos informações sobre como denunciar à polícia e à Justiça."

Neste mês, a Lei Maria da Penha completa quatro anos. Para Aparecida, é preciso que o Estado brasileiro invista recursos e crie serviços especializados para as vítimas. "Por outro lado, as mulheres que sofrem violência devem ser mais ativas quando vão a um serviço especializado e não têm tratamento adequado."

Reação

Cansada de apanhar, Juliana Ellen da Silva, de 26 anos, matou o marido com um tiro na cabeça ontem, no Grajaú, zona sul. Ricardo Batista de Carvalho, de 38 anos, era guarda municipal.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.