TV Estadão | 04.09.2015
TV Estadão | 04.09.2015

39% dos presos de SP cumprem pena por tráfico de drogas

São mais de 86 mil pessoas encarceradas por esse crime; só entre as mulheres, a participação é ainda maior: 72% das detentas

Fabio Leite, O Estado de S. Paulo

27 de outubro de 2015 | 13h53

Atualizado às 16h26

SÃO PAULO - Uma pesquisa feita pela Secretaria Estadual da Administração Penitenciária (SAP) revela que 39% dos presos paulistas cumprem pena por tráfico de drogas. São 86.354 homens e mulheres acusados ou condenados por esse tipo de crime, 11,4% a mais do que os encarcerados por roubo (77.499), que respondem por 35% do total.

Segundo o levantamento, até junho, haviam 221.636 presos distribuídos em 163 unidades prisionais espalhadas pelo Estado. Os presos por furto (18.827) e por homicídio (15.592) aparecem na sequência como os crimes mais praticados entre os encarcerados, com 8,5% e 7%, da população carcerária, respectivamente.

Entre as mulheres, a proporção de presas por tráfico é ainda maior: 72% das detentas paulistas. No caso dos homens, são 37% dos presos, número próximo dos encarcerados por roubo (36,4%). Em números absolutos, contudo, o total de homens sentenciados por esse crime é mais de oito vezes superior ao de mulheres (77,5 mil ante 8,9 mil). 

Os dados integram levantamento considerado inédito pela SAP e intitulado Presos x Delitos. Eles referem-se à situação do sistema prisional paulista no dia 18 de junho de 2015. Os crimes de tráfico, roubo, furto e homicídios ocupam as quatro primeiras posições tanto no cômputo geral quanto no caso de homens e de mulheres.

No universo masculino, o quinto maior motivo de prisão refere-se a crimes contra a dignidade sexual (4,6%). Entre as mulheres, a quinta colocação diz respeito à apropriação indébita, estelionato e receptação (2%).

Segundo a SAP, "o levantamento servirá de parâmetro para análises mais aprofundadas da situação do sistema prisional paulista e será importante para nortear as ações em relação à distribuição da população carcerária".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.