320 motoristas são multados por dia por desrespeito à faixa

Em quase um mês de fiscalização, 320 motoristas são multados por dia em São Paulo por desrespeitar a faixa de pedestres. O balanço é da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), que registrou 8.643 autuações desde o dia 8 do mês passado - quando os marronzinhos começaram a multar - até sábado, apenas na área chamada de 1.ª Zona de Máxima Proteção ao Pedestre (ZMPP), em 91 pontos do centro da capital e na região da Avenida Paulista.

Nataly Costa, O Estado de S.Paulo

09 de setembro de 2011 | 00h00

A partir do dia 19, não são apenas os condutores que transitam pelo centro que poderão ser multados. A CET vai expandir o programa para toda a capital, com ênfase nas regiões de Butantã (zona oeste), Jabaquara (zona sul), Penha, Carrão e São Miguel (zona leste) e nos principais corredores. Ainda neste mês, a CET também vai começar a flagrar o desrespeito ao pedestre por meio de câmeras de monitoramento espalhadas em seis cruzamentos da capital, como adiantou o Estado há uma semana.

A meta é reduzir em até 50% os atropelamentos em toda a cidade até 2012. Em 35 cruzamentos do centro, já foram 64% casos a menos em relação a 2010.

Sinalização. Como aconteceu nas primeiras semanas, grande parte dos condutores continua sendo multada principalmente por invadir a faixa de pedestres e não sinalizar a mudança de direção. Do total de autuações, 30% são por esse motivo. A infração é considerada grave, com multa de R$ 127,69 e perda de 5 pontos na carteira.

Já 1.521 motoristas foram autuados neste primeiro mês por avançar o sinal sem respeitar a travessia dos pedestres - infração gravíssima, com multa de R$ 191,53 e perda de 7 pontos.

Comportamento. Em uma pesquisa feita pela CET e divulgada na terça-feira, 74% dos motoristas ainda não dão preferência a quem está atravessando a rua na faixa. Apesar de parecer alto, o número é o melhor das quatro medições já feitas. Em pesquisa realizada em julho, a taxa era de 90,3%. Antes de a campanha começar de maneira educativa, em 11 de maio, era de 89,6%.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.