3 pessoas são mortas em Taboão da Serra Ladrão oferece dinheiro roubado a moradores PM encontra armas e R$ 104 mil enterrados Fogo destrói 3 andares de prédio na Rio Branco

Três pessoas morreram e uma ficou ferida na noite de sábado em Taboão da Serra, na Região Metropolitana de São Paulo. Segundo a Secretaria de Segurança Pública, por volta das 21h dois homens passaram de moto na frente de um bar na Rua Ananias Carmerindo Pires, no Jardim Panorama, e atiraram contra as vítimas. Testemunhas dizem que havia outros suspeitos em um Uno. Morreram o dono do bar, José Carlos Ferreira Barros, de 30 anos, que era procurado pela Justiça, Antônio Marcos Domingues, de 41, e Henrique Aires dos Santos, de 29. O ajudante ficou ferido.

O Estado de S.Paulo

11 de junho de 2012 | 03h02

Depois de usar uma faca para roubar na tarde de sábado uma banca de jornais em Presidente Prudente, no extremo oeste paulista, um ladrão tentou subornar os moradores que o dominaram. Perseguido por várias pessoas em uma avenida movimentada, Agnaldo dos Santos, de 34 anos, ofereceu os R$ 234 que havia roubado da banca em troca de ser libertado. A oferta foi recusada e ele foi preso pela Polícia Militar. Arrependido, Santos disse que só praticou o assalto porque está desempregado. Acabou levado ao Centro de Detenção Provisória de Caiuá.

R$ 104 mil foram achados enterrados ontem em Capão Bonito, no interior. Além do dinheiro, a Polícia Militar achou duas armas, um fuzil e uma pistola de uso exclusivo do Exército. O dinheiro e as armas estavam em um matagal às margens da Rodovia Antônio Romano Schincariol (SP-127). Segundo a PM, a localização foi feita após a prisão de três adultos e um adolescente em um carro suspeito no centro de Capão Bonito. Policiais apreenderam sacos e lanternas, além de um celular que dava as coordenadas sobre a localização do dinheiro e das armas. Os R$ 104 mil foram roubados na quinta-feira de um caixa eletrônico em Ribeira.

Um incêndio destruiu ontem três andares do edifício n.º 99 da Avenida Rio Branco, no centro do Rio. Segundo bombeiros, o prédio estava vazio e não houve vítimas. O fogo teria começado no 15.º andar do Edifício Swissair e se espalhou para o 14.º e o 16.º. No local, funciona um escritório de advocacia. Aparelhos de ar-condicionado, pedaços da fachada e entulho ficaram espalhados pela via. O prédio - cuja estrutura antifogo era inadequada - ficará interditado até inspeção da prefeitura.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.