3 PERGUNTAS PARA...Alexsandra da Silva, balconista de 36 anos, mãe da menina

1.A senhora sabe por que sua filha está detida nos Estados Unidos? Não sei. E não tem quem me informe. Nem minha tia, que está na mesma cidade, consegue descobrir. Minha filha não foi lá roubar, não foi trabalhar nem foi morar lá. Por que está presa então? Ninguém sabe me dizer. No começo, fiquei com medo de que tivessem plantado alguma coisa na bagagem dela. Drogas, não sei. Mas acho que não foi isso.

O Estado de S.Paulo

09 Janeiro 2013 | 02h04

2. A senhora tem tido contato com sua filha por telefone? Tenho de esperar ela ligar. Consegui falar com ela uma vez por semana desde quando ela foi detida. Mas, desde 31 de dezembro, ela não ligou mais. Eles (o consulado) falam que ela está bem. Mas eu não sei o que está acontecendo, se ela está comendo direito, como está a cabecinha dela. Bem ela estaria se estivesse em casa ou se conseguisse fazer essa viagem, que era um sonho da vida dela.

3. O que ela conta sobre a rotina no abrigo? Chora muito. No dia 31, todo mundo saiu. As crianças foram para o culto, para fazer esporte, mas ela ficou sozinha. Ela estava chorando demais, estava com saudade da família, chorava de soluçar. Meu medo é de que ela fique nesse lugar muito tempo. Queria poder ir lá e trazer minha filha de volta.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.