29 veículos batem e Anchieta fecha por 9h

Uma pessoa morreu e sete se feriram em engavetamentos causados pela neblina

Márcio Pinho, O Estado de S.Paulo

29 Setembro 2010 | 00h00

A Rodovia Anchieta registrou ontem cinco acidentes envolvendo 29 veículos. Uma pessoa morreu e outras sete ficaram feridas, uma em estado grave. Os engavetamentos foram causados pela forte neblina que pairava sobre a via. Os motoristas não conseguiam enxergar a uma distância superior a 100 metros e a pista molhada pela chuva fina contribuiu. Um trecho da via ficou fechado por nove horas.

A pista para a subida da serra foi a mais prejudicada. O acidente mais grave aconteceu às 8h47 na altura do km 29, no bairro de Riacho Grande, em São Bernardo do Campo, e envolveu 12 veículos, uma moto, seis carros e cinco carretas. Com a batida, a moto caiu na Represa Billings e seu condutor, Almir Morgato, morreu afogado. Quatro feridos foram levados para o Pronto-Socorro Central de São Bernardo e passavam bem à tarde.

O engavetamento provocou vazamento de óleo combustível e gasolina para a Represa Billings, responsável pelo abastecimento de água de cidades da região do ABC e também da capital. Por esse motivo, a Ecovias, concessionária que administra o Sistema Anchieta/Imigrantes, fechou a pista até as 18 horas. Neste período, o trânsito foi desviado para a pista sul, que chegou a registrar mais de 6 quilômetros de lentidão.

Um segundo engavetamento ocorreu no km 33,5, no sentido capital, às 9h15, e envolveu mais cinco veículos: quatro carros e uma moto. Duas pessoas feridas sem gravidade foram levadas para hospital em Diadema, também no ABC. Cerca de 40 minutos depois, um outro engavetamento envolveu quatro carretas e um carro no km 31, deixando uma pessoa em estado grave. No km 30 do sentido capital, houve uma batida entre uma carreta e quatro carros, sem vítimas, e no km29, sentido litoral, duas carretas bateram, sem vítimas.

Além da interdição no Riacho Grande, a Ecovias fechou, ainda na Baixada Santista, uma entrada no sentido capital. Alguns veículos que já estavam na pista de subida da Anchieta acabaram represados. Os motoristas ficaram o dia todo no local e só saíram às 15h50, por meio de um desvio na pista sentido litoral. Nesta, os problemas foram menores. Houve um acidente, e os motoristas evitaram a lentidão deixando a via pelo Rodoanel. A Imigrantes teve tráfego intenso, e a descida tanto por ela como pela Anchieta foi por operação comboio.

Limpeza. No Riacho Grande, foi preciso fazer um trabalho de contenção para evitar que o óleo e a gasolina se espalhassem pela Billings. Os produtos chegaram à represa por meio do sistema de drenagem pluvial da estrada. Uma grande mancha de óleo foi formada na superfície, e ficou contida por boias. Não foi estimada a quantidade de combustível que vazou.

A Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) interrompeu a captação de água por algumas horas na estação ao lado da ponte sobre a Billings. A unidade voltou a operar por volta das 16 horas, mas com capacidade reduzida. A Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) colheu amostras de água em vários pontos do manancial para análise.

Tráfego. O tráfego de caminhões na Rodovia Anchieta cresceu 14% nos sete primeiros meses deste ano no sentido da Baixada Santista, em comparação com o mesmo período de 2009. O principal motivo, segundo a Ecovias, foi a inauguração do Trecho Sul do Rodoanel, em abril deste ano. Sem obstáculos como o trânsito da capital e as restrições de circulação de veículos, o tráfego em direção ao litoral pelo Sistema Anchieta-Imigrantes foi 1,2 milhão de veículos superior entre abril e agosto deste ano se comparado com o mesmo período do ano passado.

O aumento de caminhões na Anchieta foi acompanhado ainda de um crescimento no número de acidentes na rodovia, segundo dados da Ecovias. Nos primeiros sete meses deste ano, foram registrados 880 acidentes, um acréscimo de 23,77% em relação aos 711 do mesmo período em 2009.

PRESTE ATENÇÃO...

1. Devagar. Reduza a velocidade quando o trecho da estrada estiver com neblina

2. Neblina forte. Neste caso, procure abrigo, como um posto de gasolina

3. Luz. Não use farol alto, pois pode ofuscar a si próprio e o motorista da frente

4. Acidente. Usar o veículo da frente como referência pode causar engavetamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.