24 corpos foram desovados em Ferraz desde 2010

Policiais civis de Ferraz de Vasconcelos disseram à reportagem que a cidade é conhecida como local de desova de corpos, principalmente nas áreas cercadas por matagais. Em todo o ano passado, a delegacia do município registrou 20 homicídios de autoria desconhecida - sem contar casos de resistência seguidos de morte, envolvendo policiais (veja abaixo). Neste ano, foram registrados mais quatro casos.

Camilla Haddad, O Estado de S.Paulo

06 de abril de 2011 | 00h00

Ontem, a promotora de Ferraz de Vasconcelos, Mariana Apparicio de Freitas Guimarães, ratificou a denúncia contra os policiais militares (com data inicial de 21 de março) e reiterou ao juiz o pedido de prisão preventiva de Ailton Vital da Silva e de Felipe Daniel da Silva.

Segundo consta no processo, a promotora alega que "os policiais praticaram gravíssimo delito de homicídio consumado, agindo de forma qualificada e covarde, em verdadeiro ato de execução". Ela ainda justifica no processo que os dois policiais podem ser um grande perigo à sociedade e, se soltos, seguramente vão influir "no ânimo e na paz das testemunhas e das demais pessoas com conhecimento dos fatos" - ocorridos dentro de um condomínio na zona leste e também no Cemitério das Palmeiras, em Ferraz de Vasconcelos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.