2 mil agentes federais serão contratados

Ações policiais vão se concentrar em duas frentes: fronteiras e centros de consumo de drogas. Serão intensificados trabalhos de inteligência para identificar e prender traficantes, bem como desarticular organizações criminosas que atuam no tráfico. O contingente das Polícias Federal e Rodoviária Federal será reforçado em 2 mil homens. E haverá mudanças na legislação.

O Estado de S.Paulo

08 Dezembro 2011 | 03h01

A principal aposta é no envio ao Congresso de medida provisória que institui o Sistema Nacional de Informações de Segurança Pública, Prisionais e Sobre Drogas (Sinesp). Estados terão de assinar pacto com a União e, se não fornecerem dados e informações precisos de segurança pública ao sistema, poderão ter suspensos repasses de verbas federais.

O governo também enviará ao Congresso projeto que altera o Código de Processo Penal e a Lei de Drogas, acelerando a alienação de bens que são produtos do tráfico. A mesma proposta dá mais agilidade à destruição de drogas apreendidas.

O governo ainda anunciou ontem apoio a três projetos em tramitação na Câmara e no Senado. O primeiro tipifica o crime organizado. Outro torna mais rígida a legislação sobre lavagem de dinheiro e um terceiro permite acelerar a extradição de estrangeiros procurados em outro país.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.