2 casas são incendiadas pelos próprios moradores

Um caso ocorreu na zona norte da capital e outro na cidade de Angatuba, no interior; vítimas foram levadas a hospitais

JB NETO, O Estado de S.Paulo

25 de fevereiro de 2013 | 02h01

Uma mulher foi agredida no início da tarde de ontem pelo filho K.N.B., de 41 anos, na casa onde moram, na Rua Viveiros de Castro, no Jardim São Paulo, na zona norte. Em seguida, o homem colocou fogo no imóvel.

Quando a Polícia Militar chegou, ele estava trancado no quarto. Quando os agentes se aproximaram da janela para tentar resgatá-lo, o agressor começou a tentar atingi-los com uma faca. Mas passou mal com a fumaça e acabou removido. O fogo foi controlado por bombeiros.

A Polícia Militar informou que o agressor sofre de distúrbios psicológicos e faz uso de medicamentos controlados. Segundo vizinhos, ele já havia causado outros transtornos na rua.

K.N.B. e a mãe, que tinha ferimentos na cabeça e em um dos braços, foram levados por uma ambulância para um hospital. Ele passaria por exames, já que inalou fumaça. O caso, depois, seria registrado em uma delegacia da região. Na mesma casa, mora a mãe da vítima, uma senhora de 85 anos que não estava no local. O gato da família morreu no incêndio.

No interior. Em Angatuba, a 213 km de São Paulo, o vigilante J.R.S., de 54 anos, agrediu a mulher, a dona de casa D.M.M., de 51, e também ateou fogo na própria casa. O incêndio ocorreu na madrugada de ontem e destruiu o quarto e parte de uma sala. A mulher conseguiu fugir por uma janela. A casa fica no bairro Faxinal, na zona rural. Uma nora da vítima conseguiu chamar a PM com um celular.

A vítima disse que, enciumado e alegando uma suposta traição, o marido tentou enforcá-la com um cinto. Alterado, ele pôs fogo na cama do casal. Os policiais encontraram o homem na casa. Com a ajuda de vizinhos, apagaram as chamas. O suspeito foi preso em flagrante por incêndio criminoso e tentativa de homicídio e levado à cadeia. Com ferimentos, a mulher foi atendida no pronto-socorro. / COLABOROU JOSÉ MARIA TOMAZELA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.