2,3 mil cruzamentos da capital terão 'vermelho piscante'

Após pressão do MP, Prefeitura faz campanha na TV para explicar como funciona o novo tempo de travessia para pedestres

CAIO DO VALLE, O Estado de S.Paulo

21 Abril 2012 | 03h08

Depois de o Ministério Público Estadual pressionar, a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) dá início hoje a uma campanha publicitária que mostrará as mudanças que estão sendo feitas nos semáforos de pedestres da capital paulista.

Nos próximos meses, os sinais para quem anda a pé terão a programação das luzes coloridas alterada em 2.343 cruzamentos. O vermelho piscante passará a durar mais tempo. O tempo do verde, por sua vez, diminuirá.

A mudança não refletirá em menos tempo destinado à travessia das pessoas - trata-se de uma questão de segurança. Segundo os técnicos da CET, a ampliação do vermelho piscante garante que a faixa seja atravessada com "conforto e segurança". Com isso, o pedestre não precisará mais correr, como ocorre atualmente. O conceito também ajudará a reforçar que só se deve começar a atravessar uma rua ou avenida quando o verde estiver aceso para quem vai a pé.

A CET iniciou testes da nova lógica do vermelho piscante em 2011, em um projeto-piloto na esquina da Avenida Juscelino Kubitschek com a Rua Professor Geraldo Ataliba, no Itaim-Bibi, zona sul. Em outubro, a Promotoria de Habitação e Urbanismo pediu esclarecimentos à empresa.

A promotora Stela Tinone Kuba queria saber se a CET tinha um prazo para expandir a alteração para todos os semáforos. Isso porque diversos especialistas em engenharia de trânsito afirmam que o funcionamento simultâneo de dois padrões diferentes dos semáforos seria perigoso. Pessoas acostumadas com um tipo de piscante poderiam correr riscos em locais em que a programação não fosse igual.

Outro questionamento era com relação à divulgação prévia dessa mudança à população. Inicialmente, a CET não havia demonstrado disposição de realizar uma campanha. Mas, após as requisições da promotora, a empresa mudou de ideia. A agência de publicidade nova/SB, a mesma que desenvolveu a campanha do homem-faixa, foi contratada para o serviço. O gerente de Operações da CET, Wlamir Lopes da Costa, adiantou que a meta é mudar todos os semáforos estipulados até dezembro.

A peça de vídeo que vai ao ar na próxima semana tem um minuto e mostra o personagem explicando como os semáforos funcionam hoje e como passarão a funcionar. O diretor de criação da agência, Ricardo Furriel, diz que a principal dificuldade foi condensar os dois conceitos em um tempo curto. "A maior parte das pessoas nunca deve ter reparado como esses sinais funcionam em São Paulo."

A Prefeitura não divulgou quanto gastou na campanha, que estará em emissoras como Globo e Record. Mas o vídeo teria custado cerca de R$ 90 mil.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.