19 motoristas são multados por minuto, um recorde

Arrecadação com autuações de trânsito foi de R$ 799 milhões em 2012; caem flagrantes de desrespeito a rodízio e limite de velocidade

BRUNO RIBEIRO, O Estado de S.Paulo

17 Janeiro 2013 | 02h01

A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) multou 19 motoristas por minuto nas ruas da capital no ano passado. Com o aumento da frota e da fiscalização das infrações de trânsito, São Paulo bateu recorde de arrecadação com multas, ao recolher aos cofres públicos R$ 799 milhões, segundo a Secretaria Municipal de Finanças.

Em 2012, foram registradas 9,9 milhões de multas, ante 9,5 milhões aplicadas no ano anterior, quando a arrecadação foi de R$ 747 milhões.

Embora continuem a liderar o ranking das autuações da capital, desrespeito ao rodízio municipal e excesso de velocidade, com 54% do total das multas, tiveram queda no ano passado em relação a 2011. Por meio de nota, a CET avalia que os números revelam que os motoristas paulistanos "estão se comportando melhor no trânsito".

Desrespeito ao rodízio registrou redução de 17,7% no número de autuações. No ano passado, foram 2,1 milhões de multas - contra 2,6 milhões em 2011. Em relação ao excesso de velocidade, a queda foi de 3,9% - de 3,3 milhões, em 2011, para 3,1 milhões, no ano passado.

Especialistas avaliam que parte da queda possa ser justificada por uma falta de conhecimento, ocorrida em 2011, sobre os limites de velocidade. Naquele ano, a CET ampliou um programa para reduzir a velocidade das principais vias da cidade para 60 km/h, o que aumentou o número de autuações. No ano passado, as pessoas já estariam acostumadas com os novos limites, o que reduziu as multas.

Para o professor do Departamento de Engenharia de Transportes da Universidade de São Paulo (USP) Claudio da Cunha Barbieri, no entanto, há outros fatores a serem considerados. Antes de parabenizar a cidade pelo respeito às regras de trânsito, Barbieri diz que "é preciso saber se todos os radares estavam funcionando e se os agentes de trânsito não estavam executando outras funções. Quero crer que (o respeito) seja o motivo (da queda)".

Outras funções. A hipótese de que os marronzinhos atuaram em outras funções faz sentido porque, no ano passado, a Prefeitura deu continuidade e ampliou o Programa de Proteção ao Pedestre - uma política que tem, entre suas principais ações, a fiscalização de multas por desrespeito à faixa de pedestres e à falta de preferência ao pedestre nas ruas. Essas multas não são aplicadas por radares.

Historicamente, essas infrações fazem parte do quesito "outras infrações" do balanço anual da CET e não aparecem destacadas. Em 2012, foi o quesito que mais teve aumento: 173% em relação a 2011 - de 603 mil para 1,6 milhão. Balanço entre agosto e dezembro apontava 320 mil multas resultantes do programa.

Mais restrições. O que puxou o crescimento das multas foi o aumento da restrição à circulação de caminhões. No ano passado, eles foram proibidos de circular na Marginal do Tietê nos horários de pico.

O balanço mostra crescimento de quase 40% nas multas dos caminhões que desrespeitam restrições de circulação - mas não revela o local em que as multas foram aplicadas. Foram 339 mil multas, contra 299 mil em 2011. Outro quesito ligado aos caminhões foi transitar fora da faixa permitida. O aumento foi de 25% - de 108 mil para 135 mil. Essa fiscalização também é mais intensa nas Marginais.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.