16 alpinistas ajudaram a iluminar ponte

Na capital paulista, duas árvores travam uma disputa acirrada para saber qual é a mais interativa. De um lado, está a árvore da Ponte Octavio Frias de Oliveira, a ponte estaiada. De outro, a árvore do Ibirapuera, patrocinada pelo Santander.

Rodrigo Burgarelli, O Estado de S.Paulo

05 Dezembro 2010 | 00h00

Na primeira, 138 metros de luzes montadas na estrutura da ponte vão mostrar o sentimento da cidade de acordo com votação realizada no site da patrocinadora, a Telefonica. São cinco opções, cada um com uma cor diferente, que iluminará a estrutura no dia seguinte. Já a árvore do Ibirapuera tem a pretensão de ser mais participativa ainda. A ideia é que qualquer pessoa possa enviar mensagens por celular ou redes sociais, como Twitter e Facebook, que serão exibidas na própria árvore. Para evitar problemas, moderadores ficarão na ativa durante as 231 horas em que a iluminação estará ligada.

No quesito aventura, no entanto, a árvore da Ponte Octavio Frias de Oliveira é imbatível. Durante a montagem, a equipe de produção contratou 16 alpinistas com experiência em montanhas como K2 e Everest. "Usamos escadas internas e outros acessos da própria ponte, que foi muito bem projetada", explicou Marco Scabbia, engenheiro responsável pelas luzes. A maior parte das obras aconteceu de madrugada, para não atrapalhar o trânsito. O custo das duas árvores não foi revelado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.