15 segundos de terror!

Demorou

TUTTY HUMOR, O Estado de S.Paulo

05 de junho de 2012 | 03h35

Ronaldinho Gaúcho só lamenta não ter deixado antes o Flamengo para se despedir em entrevista a Patrícia Poeta no Fantástico. Até a transferência dela para o JN, era a melhor maneira de alguém enrolado sair bem de qualquer situação embaraçosa!

Vontade política

Cientistas israelenses desenvolveram um tipo de maconha que não dá barato. Ou seja, só não inventam o cigarro que não dá câncer por pressão dos antitabagistas!

Jubilula

Lula se emocionou no domingo com a festa para a rainha em Londres. Ficou imaginando o que estariam aprontando por aqui para o seu jubileu.

Arrastão

A imigração americana perdeu a chance de acabar com a festa dos imigrantes ilegais no Texas! Tinham pra mais de 20 mil deles, entre mexicanos e brasileiros, no estádio de Dallas no domingo.

Fome de saber

O Brasil mudou! Quem poderia imaginar anos atrás que uma feira do livro em Ribeirão Preto pudesse terminar em conflito com a polícia!

Ah, coitado!

Amigos do técnico Cuca estão preocupados! Sabe Deus o que será dele quando Ronaldinho Gaúcho começar a cantar de galo no Atlético Mineiro!

Dia impróprio

Marta Suplicy teve decerto bons motivos para faltar ao lançamento da candidatura de Fernando Haddad. Todo mundo tem coisa melhor para fazer num sábado em São Paulo! "Impedimento de caráter privado", como diz a senadora, é o que não falta na cidade!

Deve ser mais fácil vender plano de saúde ou cartão de crédito pelo telefone! Imagina quantas ligações um infeliz precisa dar imitando voz de criança chorando até pegar um pai que caia no golpe do falso sequestro de seu filho adolescente!

Hoje em dia, com toda divulgação de alertas para o trote ignóbil, os bandidos que praticam esse tipo de ardil têm de ter mais paciência que operadora de telemarketing para ouvir desaforos de quem já conhece a conversa fiada.

Eles merecem! Mandados praquele lugar por 99,99% dos importunados, os caras não se dão ao trabalho nem sequer de selecionar suas vítimas entre aqueles que têm filhos.

Basta constar da lista telefônica para correr o risco de ser acordado cedo no domingo com o moleque aos prantos do outro lado da linha te chamando de "pai", pedindo socorro, dizendo que "eles estão armados", aquele blábláblá que a gente conhece.

Quem já teve a oportunidade de despachar um desses cretinos com meia dúzia de palavrões sabe que a ação de terror nunca é totalmente em vão: por um instante que seja, a vítima sonada imagina seu filho no inferno!

Foram os 15 segundos de desespero mais longos da minha vida. Coisa que nenhum xingamento alivia!

Ninguém merece!

Como se não bastasse a indignidade da exumação no final de março, a Justiça confirma agora que Tim Maia não é o pai da criança! Só falta a sentença de corno, né não?

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.