14 bairros da capital ficam mais de 24h sem energia elétrica

Falhas em dezenas de semáforos contribuíram para recorde de congestionamento no período da manhã

Eduardo Reina, O Estado de S.Paulo

23 Fevereiro 2011 | 00h00

Pelo menos 14 bairros da capital ficaram mais de 24 horas sem energia elétrica após o temporal da tarde de segunda-feira. Parte dos moradores do Jardim Pedra Branca, Jardim São Paulo, Jaçanã, Vila Maria, Santana, Vila Medeiros, Parque Novo Mundo e Tremembé, na zona norte, Vila Mariana, Moema, Liberdade, Aclimação, na zona sul, e Lapa, na zona oeste, tiveram o serviço interrompido durante a chuva. Ontem à tarde, segundo a AES Eletropaulo, 98% das ocorrências haviam sido solucionadas.

Pela manhã, parte dos 108 semáforos que foram desligados pela chuva continuavam sem operar. Como reflexo, a cidade registrou 125 km de congestionamento às 9h30, recorde do ano neste horário. À tarde, 67 semáforos estavam totalmente apagados e outros 36 em amarelo piscante. Em dias normais, a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) registra média de 40 pontos com problemas. À noite, eram 56 os equipamentos com falha. Três pontos da rede de trólebus, todos no centro, ficaram sem energia o dia inteiro. Os veículos foram substituídos por ônibus a diesel.

Árvores. A Eletropaulo afirmou ontem que a maior parte dos problemas foi causada por árvores, que danificaram as redes de distribuição. A tempestade de segunda teve ventos de até 96 km/h, segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). Cerca de mil raios caíram na área de concessão da Eletropaulo e houve queda de aproximadamente 120 árvores. Às 20h de ontem, 49 delas ainda atrapalhavam vias da cidade.

A concessionária informou ainda que 1.161 profissionais foram às ruas para fazer o serviço de religamento. O serviço segue uma seleção de áreas e regiões. Assim, a prioridade são as zonas onde há hospitais, delegacias, empresas de serviços essenciais, como as de distribuição de água, e cruzamentos importantes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.