13 PMs já foram presos por ajudar bandidos

O número de policiais militares suspeitos de participar de quadrilhas responsáveis por furtos e roubos a caixas eletrônicos em São Paulo seria suficiente para formar uma companhia inteira. Na manhã de ontem, mais quatro foram presos pelo Departamento de Investigações sobre o Crime Organizado (Deic) durante a Operação Caixa Preta.

Marcelo Godoy e Rodrigo Burgarelli, O Estado de S.Paulo

06 de setembro de 2011 | 00h00

Ao todo, foram revistadas 11 casas de policiais e cinco PMs tiveram a prisão decretada - um quinto está foragido. Segundo o Deic, são 13 os policiais presos por causa da operação, iniciada há três meses. Outros 13 policiais são investigados e quase cem já foram monitorados pela Corregedoria da Polícia Militar - em outro caso, sem ligação com a operação, dois PMs foram presos em Patrocínio Paulista (SP).

As apurações mostram a conivência de PMs responsáveis pelo patrulhamento com os ladrões. "Vamos desbaratar os principais grupos que atuam no roubo e furto de caixas eletrônicos em São Paulo", disse o delegado Nelson Silveira Guimarães, diretor do Deic. Além dos PMs, outras 35 pessoas foram presas pelo Deic.

Os quatro PMs presos ontem teriam facilitado a ação dos bandidos que tentaram explodir caixas eletrônicos no Clube Ipê, no Ibirapuera, zona sul de São Paulo, em abril. Três assaltantes e um vendedor de milho, atingido no tiroteio, morreram. Os PMs estariam fornecendo informações aos criminosos - como a localização das viaturas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.