13 câmeras realizam um monitoramento precário

A falta de energia elétrica também faz o sistema de monitoramento eletrônico funcionar de forma precária. Atualmente, há 13 câmeras ligadas - quase um quarto do total previsto -, que estão localizadas nas duas extremidades da pista. Esses equipamentos começaram a funcionar no fim de semana.

, O Estado de S.Paulo

06 de maio de 2010 | 00h00

Das câmeras em funcionamento, oito estão localizadas na intersecção do Rodoanel com o Sistema Anchieta-Imigrantes. As outras oito estão no outro extremo, na ligação com o Trecho Oeste, perto de Itapecerica da Serra e da conexão com a Rodovia Régis Bittencourt. Por causa da falta de energia, todas essas câmeras funcionam com baterias de energia solar.

O projeto de monitoramento eletrônico prevê a instalação de cabeamento de fibras óticas em todo o percurso e 51 câmeras integradas. Esses equipamentos vão enviar sinal simultâneo para um Centro de Controle Operacional (CCO) na sede da Dersa, na zona sul da capital, e para outro em Itapecerica da Serra.

O sistema alimentará seis painéis de mensagens ao longo da rodovia. Dois ficarão na interligação com a Imigrantes (um em cada sentido), dois com a Anchieta, um na entrada de Mauá e o último na saída do Trecho Oeste. / E.R. e R.M.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.