11 morrem por causa das chuvas no Rio e em Minas

Deslizamento de terra em Sapucaia (RJ) deixou 8 mortos e 15 desaparecidos; em Além Paraíba (MG), foram 3 vítimas

PEDRO DANTAS / RIO, MARCELO PORTELA, BELO HORIZONTE, O Estado de S.Paulo

10 de janeiro de 2012 | 03h03

Pelo menos oito pessoas (seis adultos e duas crianças) morreram por causa da chuva em Sapucaia, no Médio Paraíba, Estado do Rio, na madrugada de ontem, e outras três vítimas foram encontradas em Além Paraíba, em Minas. Com isso, o número de mortes causadas pelos temporais nos dois Estados chega a 24 desde o fim do ano passado - nove no Rio e 15 em Minas.

No principal incidente em Sapucaia, um deslizamento de terra às 3h30 soterrou oito casas no distrito de Jamapará e deixou sete mortos. Segundo os bombeiros, cerca de 15 pessoas continuavam desaparecidas ontem. As buscas continuavam durante a noite. Em outro bairro da cidade, uma casa desabou e matou um morador, de 45 anos.

A rapidez do deslocamento da terra surpreendeu os moradores de Jamapará, cujas casas ficam em uma encosta, separada do Rio Paraíba do Sul apenas pela BR-393. Outros moradores já haviam deixado suas casas durante a noite de anteontem, logo após o início da enxurrada, prevendo um acidente como o ocorrido em janeiro do ano passado, quando não houve vítimas. Uma família, que tentava deixar o bairro em um Fusca, foi soterrada dentro do carro.

Os mortos resgatados até a noite de ontem eram Luiz Carlos Nassifi, de 40 anos, e sua neta, Ana Maria Costa Bela Nassifi, de 3; um casal identificado como Sérgio e Solange, cujo filho de 8 anos está desaparecido; Rosiani Gomes Bastos, de 23, o filho Josiel, de 3, e Tiago Carvalho, de 18.

A avalanche de lama e lixo desceu por toda a encosta e parou apenas na altura do km 108 da pista da BR-393, que permanece interditada. O governo federal enviou o Exército para auxiliar o trabalho de resgate dos corpos e a desobstrução da rodovia. A Polícia Civil do Rio participa do resgate com o transporte de bombeiros por helicóptero.

Em Outeiro, distrito de Cardoso Moreira, onde um dique se rompeu anteontem e a água ameaçava invadir as casas, cerca de 300 dos 900 moradores ainda resistiam a deixar seus imóveis.

Minas. Em Além Paraíba, segundo os bombeiros, um homem foi vítima de soterramento e uma criança de 5 anos morreu afogada após ser arrastada pela água que invadiu a cidade com a elevação do nível do Rio Paraíba do Sul. Durante a tarde, a corporação conseguiu encontrar, após uma denúncia, o corpo de uma mulher que também havia sido arrastada pela correnteza.

Outra mulher que teria sido levada pela enchente está desaparecida. Além dela, o Estado tem outras duas desaparecidas - uma em Santo Antônio do Rio Abaixo, na região metropolitana de Belo Horizonte, e outra em União de Minas, no Triângulo Mineiro.

A enchente ainda deixou Além Paraíba isolada e sem energia elétrica. Os principais acessos ao município, a BR-393 e a BR-116, foram totalmente interditados em alguns trechos. Problemas semelhantes ocorreram em Juiz de Fora e Muriaé, na Zona da Mata, que fica na divisa de Minas com o Rio, e em Carandaí, Barroso e Barbacena, na região vizinha do Campo das Vertentes.

Em Juiz de Fora, a tempestade que atingiu a região também fez com que um prédio de dois andares e quatro apartamentos desabasse. Segundo vizinhos, um dos moradores teria ficado soterrado, mas os bombeiros não confirmaram a informação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.