REUTERS
REUTERS

1 a cada 10 passageiros usa metrô há 1 ano

Pesquisa interna mostra que trânsito, faixas de ônibus e novas estações já trouxeram usuários; maioria é de mulheres sem carro

Bruno Ribeiro, O Estado de S. Paulo

09 Maio 2015 | 03h00

SÃO PAULO - Uma pesquisa interna do Metrô, ainda inédita, mostra que um em cada dez usuários (11%) da rede metroviária usa esse tipo de transporte há um ano ou menos. Para a empresa, são usuários novos. O dado, segundo o corpo técnico da companhia, é um indicativo de que medidas e investimentos adotados pelas diferentes esferas de governo para melhorar a mobilidade na metrópole estão dando os primeiros resultados.

A pesquisa, chamada “Caracterização Socioeconômica do Usuário e seus Hábitos de Viagem”, perguntou, pela primeira vez, há quanto tempo o passageiro usa esse meio de transporte. Apesar do bom número de novos usuários, a maioria (45%) usa metrô há nove anos ou mais. Foram entrevistadas 7.080 pessoas, em outubro do ano passado.
O número de novos usuários chamou a atenção da coordenadora da pesquisa, Cecília Elena Fuentes Guedes, da gerência de Operações do Metrô. “Isso provavelmente se deve a uma série de fatores. Há a rapidez maior das faixas exclusivas de ônibus, que facilitam a chegada até as estações. Pesam também a demora maior no tempo de viagem de carro e a abertura das novas estações, tanto da Linha 2-Verde quanto da Linha 4-Amarela, que permitiram mais conexões e maior acesso ao Metrô”, diz.
Cecília também traçou o perfil dos novos passageiros dos trilhos: a maioria é mulher, tem entre 18 e 36 anos, com ensino superior incompleto (um indicativo de que ainda estudam) e não têm carro. Até 2003, 54% dos passageiros eram homens e 46%, mulheres. O número ficou empatado a partir de 2005. Hoje, as mulheres já são 55% do total.
Profissionais liberais. A pesquisa mostra ainda que um dos segmentos de maior crescimento entre o total de usuários é o dos que se declaram “profissionais liberais, diretores ou proprietários”, o que pode indicar uma mudança no perfil dos passageiros. Na pesquisa anterior, de 2012, 12% dos passageiros se declaravam nessa categoria. Agora, são 23% do total.
A renda média familiar dos usuários é de R$ 5.030 (6,9 salários mínimos, na época da pesquisa). Considerando faixa etária e escolaridade, a maioria dos passageiros tem entre 18 e 34 anos (56%) e ensino médio completo (51%).
A maior parte dos usuários se declara empregada de escritório: 24%. Na pesquisa anterior, eram 30%. A pesquisa é feita com base em entrevistas nas Linhas 1-Azul, 2-Verde, 3-Vermelha e 5-Lilás. A Linha 4-Amarela fica de fora porque é operada pela concessionária ViaQuatro.
Cada vez mais longe. Os dados, segundo a gerente de Operações da companhia estadual, mostram também crescimento no número de usuários do metrô que não são moradores da capital, mas da Grande São Paulo. “O transporte tem atraído gente que mora cada vez mais longe das estações”, diz Cecília.
Em 2014, o Metrô transportou 1,11 bilhão de pessoas, média de 3,09 milhões de passageiros por dia útil. Foi um aumento de 3% em relação a 2013. “É importante não fazer a comparação dessa pesquisa com os dados de bloqueio (das catracas), porque ela é feita com base em perguntas feitas aos passageiros”, ressaltou Cecília.
Mais conteúdo sobre:
MetrôSão Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.