Você é você e ponto.

Você é você e ponto.

Angélica Arbex

20 de outubro de 2016 | 12h53

cpf boleto

Durante todo este ano estive em um grupo de trabalho com o objetivo de entender e combater a fraude nos boletos bancários. Sei que este assunto não é exatamente campeão de audiência mas pode trazer muita chateação para quem já passou por isso. Por isso resolvi falar um pouco sobre isso aqui e compartilhar o que descobri com vocês.

As fraudes acontecem de dois jeitos principais: através de boletos extraviados nos correios (quadrilhas roubam estas cobranças, alteram os códigos de barras e desviam o pagamento das contas para um outro favorecido); ou por 2ª vias solicitadas na internet (o mecanismo de geração de novo código de barras é o mesmo, com favorecido sendo alterado). O resultado é que você acha que pagou o seu boleto bancário e a dívida não foi paga. Você só descobre que foi vítima de uma fraude quando recebe um novo aviso de cobrança referente ao título. Todas as cobranças que você paga através de boleto bancário podem ser fraudadas e existem mudanças importantes em curso no processo de emissão de boletos que vão ajudar muito a minimizar este risco.

A principal delas é a obrigatoriedade do CPF ou CNPJ do pagador para a emissão de boletos a partir de 2017. Segundo norma da Febraban, de forma escalonada –  dos boletos maiores para os menores-  até o final do ano que vem, será obrigatório o registro do documento do pagador para a emissão do boleto, sem este dado, nada feito. Através do registro eletrônico dos dados da emissão das cobranças, o consumidor poderá ter acesso em seu internet banking pelo DDA a todos os títulos emitidos contra ele. O que significa que no longo prazo,  não precisará mais de boletos físicos, 2ª via, nada de cobranças transitando por aí para realizar os seus pagamentos. Mais praticidade, mas fundamentalmente, mais segurança.

A sua relação com as suas contas ficará registrada, centralizada e a operação será mais segura. Claro que esta mudança é complexa. Manter uma base de dados atualizada e segura de clientes certamente é um grande desafio para todas as empresas. Muitos são os fatores que precisam casar para que este passo seja dado: a empresa precisa ser competente para pedir, armazenar e atualizar seus dados; o consumidor precisa entender seu papel e gastar aqueles 30 segundos fornecendo a informação; o sistema todo tem que funcionar e saber como armazenar as coisas e facilitar a vida das pessoas devolvendo o esforço de pessoas e empresas em facilidade e segurança.

Ufa! Por hora, o que eu te digo é que se você ainda não recebeu um pedido da escola do seu filho, da administradora do seu condomínio, das entidades que você faz doações para atualizar o seu cadastro, você vai receber esse pedido nos próximos dias. A sua parte é ajudar a confirmar que você é você! E acreditar que assim, a vida vai acabar ficando mais simples, pelo menos na hora de pagar as suas contas!