Os Síndicos e a pandemia

Angélica Arbex

30 de novembro de 2020 | 19h34

Este Dia do Síndico foi completamente diferente de todos os outros anos. 2020 está sendo o ano que fez a casa ganhar múltiplos e diversos significados. Orquestrar esta vida coletiva foi, talvez, o maior desafio enfrentado pelos mais de 30 mil síndicos paulistanos e dos milhares de outros centros urbanos desde o surgimento dos primeiros condomínios há cerca de 80 anos.

Os síndicos mostraram disciplina, resiliência, empatia e persistência características fundamentais para qualquer líder. Não há uma roda virtual de amigos em que não se falasse da vida nos condomínios na pandemia: – “e no seu condomínio como estão as coisas? academia está fechada?; “qual é a regra pra usar a quadra?”; – “pode continuar a reforma?”… E os síndicos que não são especialistas em biossegurança, nem em controle de pandemias foram encontrando as respostas e fazendo a regulação de seus espaços e comunidades fazendo com que elas ficassem mais seguras. Cuidaram do novo protocolo de limpeza, das orientações aos empregados, da informação para os condôminos.

Não é fácil ser síndico. É a típica atividade que dá muito trabalho, requer grande responsabilidade e tem pouco reconhecimento. É uma liderança na maioria das vezes silenciosa mas fundamental para o equilíbrio dos grandes centros urbanos verticais. Nunca foi simples, mas a pandemia colocou novos desafios em um limite muito delicado entre a vida coletiva e a área privada. O condomínio precisou impor novas regras que mudaram a forma como as pessoas vivem e o emissário de toda essa mudança foi o síndico.

Regras para o elevador, para as entregas, para circular nas áreas comuns, para usufruir espaços, para realizar obras, para acondicionar lixo… Foram muitos desafios enfrentados nestes tempos inéditos. Mas a grande maioria dos síndicos encontrou um equilíbrio sensato e possibilitou a construção de uma nova ordem coletiva.

Os síndicos cumpriram o seu papel. E é exatamente isso que podemos esperar das lideranças que fazem a vida em comunidade acontecer. Eles estão de parabéns e  são exemplos que podem ser copiados por  outras instâncias de poder!

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.