Muita coisa pra olhar, pra pensar, pra fazer

Muita coisa pra olhar, pra pensar, pra fazer

Angélica Arbex

18 de setembro de 2015 | 17h26

É verdade! Na crise a gente se reinventa e encontra muita oportunidade. E crise não só essa da capa dos jornais não,  crise em qualquer dimensão. Não me lembro de ter vivido um momento com tanta coisa bacana surgindo para ajudar a otimizar a vida nos condomínios.

Sobre a economia de água, os condomínios tomaram medidas para descobrir e resolver vazamentos e implantar uso racional. Vocês já notaram quantas fachadas dos prédios estão com placas sobre utilização de água de reúso ou poços? Mudança de comportamento mesmo, de todos, com jeito de mudança permanente.

Projetos de eficiência energética que contam com sistemas de sinalização inteligente, troca da iluminação por lâmpadas de led, instalação de sensores de presença em toda a área comum. Muitos lançamentos imobiliários residenciais já prevêem a energia solar como uma alternativa com capacidade para atender de 20% a 30% da demanda dos condôminos.

Essa semana conheci um projeto de compostagem muito interessante e simples, que promete resolver o problema de lixo orgânico e reduzir muito a quantidade de lixo a ser retirado nos condomínios. Os restos de comida se transformam em bom adubo que pode ser utilizado no tratamento do jardim, num processo que não ocupa muito espaço, não custa muito pra ser implantado, onde todo mundo ganha. Já está funcionando em diversos condomínios.

Água, energia, lixo. Iniciativas que me fazem pensar em toda a abrangência do morar. As pessoas não vivem mais, definitivamente, da porta pra dentro. Iniciativas que tornam o condomínio mais econômico, verde, sustentável geram valor. Um valor que cada vez mais tem ajudado as pessoas a escolherem onde comprar, onde alugar, onde morar.

Se eu economizo água, separo lixo, ensino estes valores aos meus filhos ou aprendo isso com eles, certamente vou preferir morar num lugar onde mais pessoas pensem assim. E quando isso começa a ser feito por todo mundo, começa a virar notícia e a notícia ajuda a formar a tendência. Desse jeito, a rua, o bairro, a cidade vai transformando o jeito como a gente mora.

Ainda é cedo para afirmar quais as  iniciativas que irão de fato tornar a vida vertical mais sustentável com resultados significativos e permanentes. Muita gente está pensando nisso, se organizando para criar projetos interessantes e de fácil aplicação. Esse novo jeito de se relacionar com o condomínio está criando uma identidade diferente no morar, não é só da porta para dentro que a casa pode ter a nossa cara. O condomínio que a gente escolheu pra viver pode  dizer muito de quem a gente é.

Tendências: