Como transformar seu prédio? Inspire Aqui!

Como transformar seu prédio? Inspire Aqui!

Angélica Arbex

30 Novembro 2016 | 10h24

gente1 (2)

Hoje, 30 de novembro é o dia do síndico. Mesmo depois de tantos anos convivendo com eles não consigo entender direito quais são as motivações que fazem com que condôminos queiram ser eleitos síndicos. É tanto trabalho, tanta responsabilidade, tanta dor de cabeça e tão pouco reconhecimento, valor percebido. O que eu sei, há bastante tempo, é que ser síndico é uma baita missão ingrata! Por isso nada mais adequado do que um dia todo deles. O meu jeito de comemorar o Dia do Síndico é compartilhando algumas histórias verdadeiras e inspiradoras que eu acompanhei   que me ajudaram a entender como síndicos fizeram e fazem a diferença e como essas pessoas estão ajudando a transformar o esteriótipo da categoria. Por razões claras de privacidade alterei os  nomes, mas tenho certeza que, se eles passarem por aqui, vão se reconhecer!

1)

Imagine a cena: condomínio mal cuidado, com fachada suja, móveis quebrados, endividado, funcionários desmotivados, condôminos que mal dizem oi no elevador, apartamentos desvalorizados. De repentes o Antonio teve um estalo e no meio da Assembleia mesmo, resolveu que ia mudar tudo por lá. Levantou a mão, foi eleito. Só que ele  era (é) dentista. Pelo que eu soube, a lógica da assembleia foi a do “pior do que está não fica”. Lá não teve mágica, esse condomínio fica numa região muito nobre de SP, condomínio pequeno, poucos apartamentos. A primeira estratégia dele foi a de unir as pessoas. Ele fazia reuniões semanais, compartilhava decisões… Foi remodelando orçamento, no primeiro ano acertou o caixa, no segundo, reformou a quadra e as crianças passaram a descer mais pra brincar. Hoje a fachada foi toda restaurada, e ainda tem sobra caixa para as festas de dias das crianças, de natal, coisas das quais eles não abrem mão, já que todo mundo (quase todo mundo) se adora.

2)

Um condomínio clube como tantos outros em São Paulo. Muitas áreas de lazer, muitos equipamentos…  Todo mundo quando compra o apartamento imagina uma vida ativa, os filhos com uma grade de atividades, um corpo cuidado, saúde e tudo sem sair de casa a um elevador de distância. Quantos de nós já tivemos esse sonho ao pegar o folheto de um condomínio clube e olhar aquele terreno gigante com um apartamento decorado lindo! Conheço tantos condomínios assim, realmente incríveis, com vocação mesmo pra entregar tudo isso que o incorporador prometeu, mas com todas essas áreas vazias. Muitos, mas não esse. Nesse, que tem o Laerte como Síndico é uma delícia morar. Lá na verdade, tem fila de espera pra comprar ou alugar apartamentos. E olha que são 200. Logo de manhã, os condôminos recebem whatsapp com a temperatura da piscina aquecida, a equipe de esportes conhece todo mundo pelo nome, adolescentes e idosos fazem zumba e pilates lado a lado. Bebês aprendem a nadar, enquanto seus irmãos de 4, 5 anos, estão na quadra ao lado fazendo recreação. O Laerte acreditou na vocação do condomínio,  organizou e investiu nisso e transformou o condomínio dele (deles) num lugar realmente especial pra se viver. Pode perguntar pra quem mora lá, ninguém quer se mudar!

3)

Disciplina, organização, planejamento e apartamento que quase dobra de valor. Tudo partindo da cabeça da Paula. Quado ela foi eleita síndica de um condomínio na Zona Sul, ela via alguns condomínios em volta do seu, mais novos, com apartamentos que valiam muito mais que o dela. Lá estava tudo certo. Tinha garagem, planta boa, o prédio estava pintado… Mas não tinha jeito, os apartamentos em volta valiam mais. A Paula é da geração Y. Ela não se conformou com aquilo. Pesquisou, olhou experiências no Brasil, fora do Brasil, desenvolveu um mini app para o compartilhar a ideia (e o orçamento da ideia)  com seus vizinhos, e transformou o condomínio. Olha, o que eles fizeram na área comum, é encantador. Do quarteto -quadra, churrasqueira, salão de jogos, salão de festas –  eles fizeram horta, sala gourmet, sala de dança, academia, pomar. Da horta orgânica é que vem todas ou quase todas as verduras dos condôminos e dos funcionários do condomínio. Esse ano, eu não entendo muito disso, mas pelo que eles me contaram, do pomar cuidado há um tempo virão as primeiras frutas. A colheira já está com data marcada e será feira pelas crianças do prédio, ainda antes do natal. A turma de lá e de todo bairro têm comentado o privilégio que é morra num lugar assim.

Histórias como essas e tantas outras que eu conheço é que sempre me ajudam a acreditar no copo meio cheio. Claro que existem síndicos não tão realizadores, não tão legais, não tão líderes. Claro que você ainda conhece aquele que ainda está lá só para cumprir e fazer cumprir a ordem, acabar com o barulho e com o seu churrasquinho… Pra exercer o poder pelo poder. Mas o que eu tenho visto, lamento pessimistas de plantão, é cada vez mais gente fina, elegante e sincera à frente dos prédios!

Hoje, eu acredito que, um síndico de verdade conhece seu condomínio e consegue transformá-lo sempre em um lugar melhor para estar e para viver. Essa é a verdadeira motivação e o seu maior presente! Então pelos Síndicos, seus feitos diários e seus feitos maiores, um viva!