Aprendemos a fechar as torneiras

Aprendemos a fechar as torneiras

Angélica Arbex

19 Junho 2015 | 10h19

Como os moradores dos condomínios de São Paulo entraram no jogo e ajudaram a escrever uma história de 90% de redução de consumo de água.

Quando a Sabesp iniciou a campanha com os paulistanos para a economia de água, pensei em como seria difícil cuidar desse assunto nos condomínios.  Difícil porque não dá pra colocar uma meta para pessoas que não tem qualquer parâmetro comparativo. Choveram (com o perdão do trocadilho infame) perguntas: ok devo economizar, mas como é que eu faço isso? Quanto eu devo economizar? Qual é a média do que eu gasto hoje?  A minha economia vai aparecer na conta final? Qual a média razoável de consumo para uma família de quatro pessoas? Devo falar com o Síndico? E quem vai fiscalizar o consumo do meu vizinho?

Leitor, se você mora em uma casa, possui uma indústria, uma loja e recebe aquela conta azul da Sabesp todos os meses, reeducar os hábitos e reduzir o consumo de água foi uma tarefa mais fácil.  É completamente diferente o comportamento do morador de uma casa, que paga a conta da Sabesp e acompanha o consumo na ponta do lápis, em relação ao que mora em condomínio, que paga a conta de água, na grande maioria das vezes, junto da cota condominial, seja com leitura individual ou não. O morador do condomínio só percebe o problema quando falta água, e isso é muito ruim.

Após o primeiro balanço divulgado pela Sabesp, a campanha de redução obteve sucesso e metas alcançadas em quase todos os segmentos exceto… nos condomínios.

Faltava uma peça chave para a conquista da meta: conseguir chegar no morador dos condomínios. Mesmo adotando diversas medidas sugeridas para as áreas comuns, como trocar a mangueira pela vassoura; manter a piscina fechada; rega de plantas com água de reuso; checar diariamente o relógio para identificar vazamentos; não registramos redução significativa porque não houve diminuição de consumo nos apartamentos responsáveis por mais de 80% do consumo água nos condomínios.

A falta de resultado gerou um plano abrangente de comunicação com os moradores: começamos a ver espalhados pelos elevadores da cidade cartazes com a média de consumo daquele condomínio X a meta de economia; páginas dos grandes condomínios nas redes sociais com gráficos detalhados do consumo, síndicos parabenizando o engajamento dos condôminos, outros ainda puxando a orelha. A sensação de um por todos e todos por um tomou conta das torneiras e chuveiros.

Muitos condomínios criaram esquadrão de economia, discutiram eficiência hídrica, nunca se falou tanto sobre poços artesianos, redutores de vazão etc. Você com certeza já teve essa conversa com alguém nos últimos meses ou se pegou conhecendo tudo sobre o consumo de água de um condomínio num passeio de 10 andares pelo seu elevador.

O resultado desse engajamento foi amplamente veiculado: após a segunda apuração da Sabesp houve redução de consumo em cerca de 90% dos condomínios, isso mesmo 90%.

De acordo com a ONU, cada pessoa necessita de cerca de 4 mil litros (4m³) de água por mês. Faça a conta da sua casa e veja onde é possível economizar.

Confira dicas simples e eficientes reduzir o consumo:

Cozinha

– Limpe bem os restos de comida de pratos e panelas, antes de lavá-los, jogando os restos no lixo.

– Só ligue a máquina de lavar louça quando estiver com sua capacidade total.

– Ao lavar louça, ensaboe tudo que tem que ser lavado e, então, abra a torneira novamente para novo enxágue.

– Deixe as verduras em água com um pouco de vinagre por alguns minutos antes de lavar.

 Banheiro

– Mantenha a torneira fechada enquanto escova os dentes.

– Não tome banhos demorados, 5 minutos são suficientes.

– Não utilize o vaso sanitário como lixeiras.

Área de serviço

– Utilize a máquina de lavar somente quando estiver na capacidade total. Uma lavadora de cinco quilos consome 135 quilos de água a cada uso.

-Para roupas lavadas à mão deixe as roupas de molho e use a mesma água para esfregar e ensaboar.

Jardim e varanda

– Regue as plantas de manhã cedo ou à noite para evitar o desperdício causado pela evaporação.

– Use um regador para molhar as plantas em vez de utilizar a mangueira.

Escritórios

– Escolha torneiras de baixo consume ou com temporizador.

– Instale redutores de vazão nas torneiras.

– Instale tanques de captação para aproveitamento de água de chuva e dos aparelhos de ar condicionado.