A fase emergencial e os condomínios

A fase emergencial e os condomínios

Angélica Arbex

14 de março de 2021 | 09h17

Na próxima segunda-feira começa a fase mais restritiva da pandemia de covid-19 em São Paulo. Nesta hora, em que todos precisam ficar em casa, há muito a ser feito para garantir a harmonia e a segurança da vida vertical. Um terço dos paulistanos vivem em condomínios e agora a casa voltou a ser o centro nervoso da vida.

Já escrevi sobre isso outras vezes aqui, síndicos não são especialistas em biossegurança e combate à pandemias, nestes momentos de maior crise, eles são os que mais sofrem nos condomínios para tentar organizar um sem número de questões: obras, áreas comuns, crianças, entregas, elevador, funcionários. Tudo muito urgente e confuso e para completar, não há uma diretriz objetiva do que pode e do que não pode nos condomínios.

Esse post é para síndicos e é para você também que mora em condomínios e reúne algumas poucas dicas importantes que funcionaram no primeiro ano de pandemia e que podem ajudar e simplificar a quinzena que vem pela frente.

Veja só:

  • A prioridade número um é a segurança sanitária dos condôminos e funcionários. Todo protocolo adotado para preservar essa segurança precisa e deve ser seguido por todos. Quando vivemos em um ambiente coletivo, as nossas convicções pessoais devem ficar da porta da nossa casa para dentro, nas áreas comuns a melhor opção é seguir os protocolos;
  • Procure buscar as suas encomendas na portaria do condomínio assim que elas chegarem. Nesta fase, o número de entregas será elevado e é muito importante não permitir o acúmulo de encomendas e entregas diversas na portaria;
  • Use sempre máscara. Ao sair da sua casa, no elevador, nas áreas comuns, na garagem, na rua. Use sempre é a maior e mais comprovada proteção contra o contágio do coronavírus;
  • Cuide das crianças. Caso o seu filho ainda não tenha o entendimento para seguir os protocolos em segurança nas áreas comuns, não permita que ele circule sozinho pelo condomínio. Isso vai proteger a sua família e as demais;
  • Neste período todo mundo vai estar em casa. Adultos no home office, crianças em casa estudando, tudo mais confuso de novo… Caso você tenha alguma obra planejada para este período, pondere se não é possível adiar. Uma das maiores chateações das pessoas em casa é o barulho de obra. E parece que em todos os condomínios da cidade, pelo menos um apartamento está “quebrando tudo”.

São Paulo vive a fase mais complicada da pandemia e é muito importante a consciência coletiva das medidas de distanciamento e prevenção. Em todas as escalas, agora é um momento chave para nos mostrarmos organizados e obedientes ao protocolo. A menor escala de convivência coletiva é o condomínio. Já pensou nisso? Aqui, pelo menos aqui, no seu prédio você faz a diferença para criar um ambiente seguro.

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.