Menos lixo, mais qualidade de vida

Estadão

24 de novembro de 2010 | 07h49

Segundo a Prefeitura de São Paulo, nossa cidade produz quase 17 mil toneladas de lixo todos os dias. Desse número, cerca de 10 mil toneladas são geradas nas residências. Ou seja, o paulistano precisa aprender a lidar melhor com a questão do lixo para não acabar com a própria saúde e o meio ambiente em que vive, já que mais de 80% dessa sujeira ainda é despejada em lixões a céu aberto.

Assim como o blog tem registrado constantemente, o lixo é responsável por inúmeras enchentes que acontecem na cidade. Mas ele não aparece lá sozinho. Alguém o descartou, ainda que seja um papel de bala ou um sofá de três lugares. Já que as consequências do acúmulo de lixo são sempre notadas, decidimos falar agora de como podemos fazer para evitar esse transtorno recorrente. Para tanto, a equipe do blog vai apresentar algumas dicas do Instituto Akatu, uma organização que tem como objetivo divulgar a importância de um consumo mais consciente, em respeito ao planeta e a nós mesmos.

São atitudes simples, mas que significam muito se todos fizerem a sua parte. Basta dar o primeiro passo.

 

Não suje a cidade

– Não jogue lixo nas ruas

– Se não achar lixeira, guarde consigo até que possa se desfazer dele

– Recuse folhetos de propaganda, mas, se os pegar, não descarte em qualquer local

Separe lixo para reciclagem

– O papel do cidadão no processo de reciclagem é o mais simples: separar o lixo. A melhor maneira de realizá-lo é isolando o lixo seco do molhado

Lixo seco: embalagens, papéis, revistas e jornais, entre outros

Lixo úmido ou orgânico: restos de alimentos e folhas

Importante: um material deixa de ser reciclável se estava em contato com líquidos contaminantes, como óleos e graxas. Exemplo: garrafa de plástico com solvente

Compacte o lixo antes de jogá-lo

– Latinhas de alumínio e garrafas plásticas devem ser amassadas (sem esquecer de tirar as tampas), pois ocupam menos espaço nos sacos de lixo

Não jogue o que você pode doar

– Roupas, livros, móveis, brinquedos e outros objetos podem ser levados para entidades beneficentes, brechós e sebos, ou então doados para pessoas conhecidas. Não desperdice o que ainda tem alguma utilidade

Leve a própria sacola para fazer compras

– Aproveitando que a Câmara de São Paulo tem como projeto decretar o fim das sacolas plásticas no comércio, faça sua parte e comece a levar uma sacola retornável ao mercado, feira e outros estabelecimentos. Além de demorar 450 anos para se decompor, a sacola plástica corresponde a 40% das embalagens que são jogadas no lixo da nossa cidade. Evite ao máximo seu uso

Exerça a cidadania e cobre providências dos governantes

– Exigir propostas e ações viáveis para solucionar o problema do acúmulo de lixo é direito e dever do cidadão. Faça sua parte. Cobre posições dos políticos que ajudou a eleger e também dos que não levaram seu voto. Eles estão lá para agir em prol de todos. Além disso, mande sugestões para o blog, ideias de pauta, problemas pela cidade. Esse espaço também é seu!

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: