Mais de 10 árvores caíram com chuvas e ainda ocupam vias

Estadão

14 Dezembro 2010 | 13h40

SÃO PAULO – Ao menos 13 árvores que caíram durante a madrugada desta terça-feira, 14, por conta das fortes chuvas e da ventania que atingiram a capital paulista, ainda atrapalhavam o trânsito por volta das 13h. Antes, outras duas árvores foram removidas. Nenhuma pessoa ficou ferida.

A situação estava pior na Avenida Cruzeiro do Sul, na zona norte da cidade. A via ficou totalmente fechada no sentido Santana, perto da Rua Pedro Vicente. Por conta do bloqueio, o congestionamento no local chegava a dois quilômetros. A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) divulgou um alerta aos motoristas para evitaram a região e usarem um desvio pelas avenidas Tiradentes e Santos Dumont em direção à zona norte.

As outras vias com faixas interditadas por queda de árvore eram:

Rua Júlio Colaço, 210, no Tatuapé
Rua Antonio Fontoura Xavier, 617, no Parque São Lucas
Rua Prof. Mendes Pimentel, 468, em São Mateus
Rua Antonio Correia Pinto, 100, no Sacomã
Rua Soldado Pereira da Silva, 164, na Vila Mariana
Rua Nicarágua, 145, no Jardim Paulista
Rua Madre Teodora, 62, no Jardim Paulista
Avenida Prof. Fonseca Rodrigues, 810, em Pinheiros
Rua Duarte da Costa, 278, na Lapa
Avenida Mercedes, com a Tomé de Souza, na Lapa

Ocorrências. Segundo a Secretaria Municipal de Segurança Urbana, na segunda foram registradas 43 ocorrências devido às chuvas. Até as 10 horas de hoje, foram registradas outras 11. Entre os chamados solicitados estavam vistoria de imóveis, solapamento de via, desabamento de muros e queda de árvores.

De acordo com o Plano Preventivo de Defesa Civil, a cidade entrou em estado de atenção para enchentes ontem e ainda permanece. Exceto as regiões da Sé, Mooca, Pinheiros e Vila Mariana, as demais também estão em estado de atenção para escorregamento.

Chuva. O volume de chuva foi alto e a média registrada ontem na cidade chegou aos 65mm, que reflete 32% do esperado para o mês de dezembro, que é de 201mm, segundo o Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE).

Solange Spigliatti, da Central de Notícias