Herança da ‘grande enchente’

Estadão

08 de novembro de 2010 | 14h31

Uma pequena placa de bronze na calçada da Rua Porto Seguro, bairro da Ponte Pequena, marca o ponto atingido por uma inundação há 81 anos. Na inscrição, que fica em frente ao número 56, uma frase: “Nível da enchente de 1929”.

Considerada uma das maiores cheias já sofridas por São Paulo, a enchente de 1929 ocorreu durante as chuvas de verão, numa época em que as águas do Rio Tietê não fluíam de maneira eficaz pelo Rio Pinheiros.

Bom_Retiro_017ok.jpg

A já extinta Light & Power – empresa canadense responsável pela formação da Represa de Guarapiranga e a distribuição de energia elétrica, entre outras atuações – conseguiu uma concessão do Governo Federal para canalizar, retificar e inverter o curso do Rio Pinheiros, em 1927.

Nesse acordo também estava previsto que a Light & Power poderia demarcar os terrenos que fossem atingidos pelas próximas cheias na cidade. Esses trechos passariam a ser propriedade da empresa.

Dois anos depois, em 1929, a Rua Porto Seguro ficou debaixo d’água e em sua calçada foi inserida a placa da fotografia acima. Ela permanece intacta até hoje e pertence ao Inventário de Obras de Arte em Logradouros Públicos da Cidade de São Paulo, mantido pelo Departamento do Patrimônio Histórico.

Wanise Martinez

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: